quarta-feira, 31 de outubro de 2012

A potência excepcional do Gayatri Mantra - (Sathya Sai Baba)



"Personificações do Amor!

Se uma pessoa se aproxima de um indivíduo e lhe pergunta: 'Quem é você?'. Dado à sua identificação com o corpo, ele dá o seu nome em resposta. Em resposta a perguntas adicionais, ele se apresenta como médico, agricultor ou estudante, e outros mais. Quando o questionamento continua, ele se identifica com sua nacionalidade, como americano, indiano ou paquistanês, e assim por diante. Quando se examinam essas respostas profundamente, nota-se que nenhuma delas corresponde à verdade. Ele obteve o seu nome dos seus pais. Ele não lhe pertencia quando nasceu. A sua identificação com uma ou outra das profissões não é verdade porque ele não é a profissão.


Corpo, Jiva e Átman

Qual é, então, a verdade a respeito dele? 'Eu sou o Átman. Esse é o meu verdadeiro Ser'. Essa é a verdade. Mas as pessoas se identificam com os seus nomes, profissões e nacionalidades e não baseiam as suas vidas no Átman. Nenhum motorista se identifica com o seu carro. Da mesma maneira, o corpo é um carro e o Átman é o condutor. Esquecendo-se da sua verdadeira função, o indivíduo está se identificando com o corpo, que é somente um veículo.

Essa verdade é ressaltada com ênfase pelo Gayatri Mantra.

Dehabudhyath dasoham

"No contexto do corpo, sou um instrumento, um servente".
Jivabudhyath thadamsah

"No contexto do Jiva, a alma individual, sou a centelha de That (o Divino)".
Atmabudhyath thvameva-aham

"Em termos do Átman, eu sou Tu".

(Versos em Sânscrito)

Quando um indivíduo se observa do ponto de vista átmico, ele é idêntico ao Divino: 'Eu sou Tu e Tu és eu'.




A mansão de três andares

Assim sendo, todo homem tem três aspectos. A nossa própria vida é como uma mansão com três andares. O estágio de brahmacharya (celibato) é o fundamento dessa mansão. Depois desse, o estágio do grihastha (casado, chefe de família) é o primeiro andar. Depois tem-se o vanaprastha (afastamento da vida de chefe de família), estágio como segundo andar. Finalmente, existe o estágio do renunciante (sanyása), que constitui o terceiro andar. Desse modo, brahmacharya é a base para os outros três estágios da vida. A segurança e a garantia dos outros três andares dependa da firmeza do alicerce (isto é, de brahmacharya). Portanto, brahmacharya é o fundamento básico.

Porém, infelizmente esse fato importante tem sido esquecido pelas pessoas. Elas sentem-se felizes olhando a super-estrutura. Mas o edifício inteiro pode ruir a qualquer momento se os alicerces forem fracos. Você deve se preocupar com as suas raízes. O fundamento invisível é a base da mansão visível. As raízes invisíveis são a base da árvore visível. Da mesma maneira, a força vital invisível (prána) é a base do corpo visível. O prána não tem nenhuma forma, enquanto o corpo tem uma forma. Existe, porém, o princípio átmico, que confere todas as potências à força vital (prána). Devido ao poder conferido pelo Átman, a força vital pode ativar o corpo. O corpo é inerentemente inerte. Ele é constituído por diferentes tipos de substâncias materiais.


As três potências no Homem

No Gayatri Mantra, a primeira linha é: 'Om bhur-bhuvah-swaha'. Se presume que esse mantra se refere aos três mundos: a Terra, o mundo intermediário e o Céu (ou Swarga, a terra dos deuses). Bhur se refere ao corpo. Esse é composto de cinco elementos (pancha bhutas). Esses cinco elementos constituem a Natureza (Prakriti). Existe uma relação íntima entre o corpo e a Natureza. Os mesmos cinco elementos que estão na Natureza também estão no corpo. Bhuvah é a força vital que anima o corpo (prána-shaktí). Mesmo que a força vital exista, sem jñána (consciência) o corpo não tem utilidade. Com base nessa explicação, os Vedas declararam:

Prajñánam Brahma

"A Consciência Integrada Constante é Brahman".

(Verso em Sânscrito)

Devido à presença do Prajñána, a força vital pode animar o corpo. O corpo representa a matéria inerte. A força vital opera no corpo como uma vibração. Essa vibração deriva do poder de Prajñána, que encontra expressão na radiação.

Portanto, o corpo, a força vital e o Prajñána estão todos no Homem. O Cosmos inteiro está presente, em miniatura, no Homem. Por causa desses três constituintes, somos capazes de ver o Cosmos e vivenciar muitas outras coisas. Toda potência está dentro de nós. O externo é um reflexo do Ser Interno.

Conclui-se disso que a verdadeira humanidade (mánavathvan) é a própria Divindade (Daivathvam). Por isso, os Vedas declaram que o Divino aparece na forma humana. Todo ser humano é inerentemente Divino, mas, devido ao seu apego ao corpo, ele se considera um mero homem.

Como esse corpo humano é animado pela força vital? De onde proveio essa força vital? É do Átman-Shaktí? (o poder do Ser, Self). Fazendo uso desse poder do Ser, a força vital realiza todas as atividades.


Tríplice aspecto do Gáyatrí

Quem é Gayatri? Gayatri não é uma deusa.

Gayatri chandassam mata

"Gayatri é a mãe dos Vedas".
Gayantham trayathe iti Gayatri

"Gayatri é aquilo que redime o cantor do mantra".

(Verso em Sânscrito)

Gayatri está presente onde o mantra é entoado.

Gayatri, entretanto, tem três nomes: Gayatri, Sávitri e Saraswatí. Essas três estão presentes em cada indivíduo. Gáyatrí representa os sentidos. É quem controla os sentidos. Sávitri controla a força vital (prána). Muitos bharatiyas (indianos) estão familiarizados com a história de Sávitri, que trouxe de volta à vida o seu marido morto, Sathyaván. Sávitri quer dizer Verdade. Saraswatí é a deidade que preside o dom da palavra (vák). As três representam pureza de pensamento, palavra e ação (thrikarana suddhi). Embora Gayatri tenha três nomes, todos os três estão presentes em cada um de nós como: os sentidos (Gayatri), o poder da palavra (Saraswatí) e a força vital (Sávitri).

Diz-se que Gayatri tem cinco faces e, portanto, se chama panchamukhi. Existe no mundo alguém com cinco faces? Não. No Ramayana, Rávana é descrito como tendo dez cabeças. Se realmente ele tivesse dez cabeças, como poderia ele se deitar na cama ou mover-se de um lado a outro? Esse não é o significado interno dessa descrição. Diz-se que ele tinha dez cabeças porque ele dominava os quatros Vedas e os seis Shástras. De maneira semelhante, Gayatri é descrita como tendo cinco faces. As cinco faces são: 'Om' (o Pranava) é a primeira face. O princípio do Pranava representa as oito diferentes formas de riqueza (ashta-aiswarya). A segunda face é 'bhur bhuvah swaha'. A terceira é: 'thath savitur varenyam'. A quarta é: 'bhargo devasya dhimahi'. 'Dhiyo yo nah prachodayaath' é a quinta face. Quando o Gayatri Mantra é entendido dessa maneira, será notado que todos os cinco aspectos do Gayatri estão dentro de cada um de nós.

O poder do Gayatri Mantra

O Gayatri Mantra tem os três elementos que figuram na adoração de Deus: descrição, meditação e oração. As primeiras nove palavras do mantra representam os atributos do Divino: 'Om bhur-bhuva-swaha thath savitur varenyam bhargo devasya'. 'Dhimahi' pertence à meditação (dhyána). 'Dhiyo yo nah prachodayaath' é a oração ao Senhor. O mantra é, conseqüentemente, a oração a Deus para conferir todos os poderes e talentos.

Sarvaroganivárini Gáyatrí

"Gayatri é quem cura todas as doenças".
Sarvaduhkha parivárini Gáyatrí

"Gayatri repele toda a miséria".
Sarvaváncha phalasri Gáyatrí

"Gayatri é quem satisfaz todos os desejos".

(Versos em Sânscrito)

Gayatri é quem doa tudo o que é benéfico. Se o mantra é cantado, vários poderes se manifestarão no indivíduo.

Por conseguinte, o Gayatri Mantra não deveria ser tratado com pouco caso. No nosso processo de respiração, o som do Gayatri é parte integral dele. O som é uma lembrança da nossa verdadeira forma. No processo da respiração temos a inalação e a exalação. No Yoga-Shástra, a inalação é chamada de púraka e a exalação é denominada rechaka. Manter o ar respirado é chamado kúmbhaka. Quando o ar é inalado, o som produzido é So-o-o. Quando ele é exalado, o som é Ham-m-m. So-Ham... So-Ham...(1). So é That (Isso). Ham é 'eu'. 'Eu sou That (Isso)'. 'Eu sou divino'. Cada ato de respiração proclama isso. Os Vedas declararam a mesma coisa nos pronunciamentos:

That thwan asi

"Isso tu és".
Aham Brahmaasmi

"Sou Brahman".
Ayam Atma Brahma

"Este Átman é Brahman".

(Versos em Sânscrito)

Não imagine que Deus é algo distante de você. Ele está dentro de você. Você é Deus. As pessoas querem ver Deus. Sathyam jñánam anantham Brahma, dizem as Escrituras. A Verdade é Deus. A Sabedoria é Deus. Ambos estão presentes em toda a parte. Elas transcendem as categorias do tempo e do espaço. A Verdade é aquilo válido em todos os tempos: passado, presente e futuro. Essa verdade é Gayatri.

Gayatri é, assim, o residente interno do coração (hridaya). Hridaya contém a palavra daya, que quer dizer compaixão. Existe a compaixão em cada coração. Mas em que proporção ela é demonstrada na vida real? Bem pouco. Durante todo o tempo, somente a raiva, a inveja, o orgulho e o ódio são manifestados. Essas más qualidades não são naturais ao ser humano. Elas são opostas à natureza humana.

Foi declarado que quem se baseia somente na mente é um demônio. Quem se baseia no corpo é um animal. Quem segue o Átman (o Ser) está dotado divinamente. Quem confia no corpo, na mente e no Átman é um ser humano. A humanidade é a combinação de corpo, mente e Átman. O Homem deveria se esforçar por ascender ao Divino e não descer à natureza demoníaca ou animal.


O dever dos pais

Doravante, os pais deveriam ensinar aos filhos histórias com conteúdo moral. Todos sabem em que condição caótica o mundo de hoje se encontra. A desordem e a violência correm desenfreadas por toda a parte. A paz e a segurança não se encontram em parte alguma. Onde pode-se encontrar a Paz? Ela está dentro de nós. A segurança também está dentro de nós. Como pode a insegurança ser removida e a segurança assegurada? Através do abandono dos desejos. Na linguagem dos bharatiyas (indianos) de outrora, este foi denominado vairágya (abandono, renúncia aos apegos). Isso não quer dizer abandonar a casa e a família. Como estudante, aferre-se aos seus estudos. Como profissional, mantenha-se fiel aos deveres da sua profissão. Não se entreguem a excessos de tipo algum.

Na prática do Gayatri Mantra, o indivíduo deveria compreender que tudo está dentro do indivíduo e de tal modo desenvolver a confiança no Ser. O Homem hoje é sacudido violentamente com dificuldades porque ele não tem confiança no Ser. O aspirante na senda espiritual está destinado a enfrentar as dificuldades causadas pelos seis inimigos: a luxúria, a raiva, a cobiça, a paixão, o orgulho e a inveja. Ele tem que superá-los.


Apelo aos estudantes

Estudantes! Numa ocasião auspiciosa como esta, vocês deveriam considerar como poderiam levar uma vida ideal. Pela fé em Deus, vocês têm que santificar o corpo. Sem o corpo, vocês não podem experienciar a mente e o intelecto. Para alcançar os seus ideais, o corpo é um instrumento. Ele deveria ser mantido em condições adequadas. O corpo é um instrumento. Porém, quem utiliza o instrumento é o Ser. Todos os órgãos dos sentidos funcionam por causa do Átman. O Átman é a testemunha de tudo. Ele também é conhecido como Consciência. A Consciência deriva a sua sanção do Divino. Ela é parte do Divino.

Todo ser humano é uma centelha do Divino, como declarado na Gita. O ser humano é basicamente divino, mas tende a se esquecer da sua origem divina. O Gayatri Mantra é suficiente para proteger a pessoa que canta, porque o Gayatri personifica todas as potências divinas. É um requisito fundamental para os jovens, porque lhes assegura um futuro brilhante e favorável. Os jovens estudantes são os cidadãos e os líderes de amanhã. Portanto, eles deveriam desenvolver pensamentos puros e nobres. Os pais também deveriam alimentar tal desenvolvimento.



A proximidade de Deus

A Cerimônia do Upanayanam foi concluída. O Gayatri Mantra foi dado a vocês. Vocês estão usando o cordão sagrado com três fios atados a um nó. Os três fios representam Brahmá, Vishnu e Maheswara (Shiva). Eles também representam o passado, o presente e o futuro. Upanayana quer dizer proximidade de Deus. A proximidade de Deus permitirá que se livrem das suas más qualidades e que adquiram as virtudes.

Estudantes! Os Vedas enfatizaram três deveres: honrar a mãe como Deus, o pai como Deus e o mestre como Deus. Tenham em mente esse preceito. A gratidão aos pais é o seu dever primordial. Essa é a lição ensinada por Sri Rama.

Amem os seus pais e lembrem-se de Deus. Quando vocês contentam aos seus pais e os fazem felizes, as suas vidas inteiras estão repletas de felicidades.

Cantem o Gayatri tão seguidamente quanto possível. Se vocês cantam enquanto no chuveiro, o seu banho será santificado. Da mesma maneira, cantem-no antes das refeições. O alimento torna-se, então, uma oferenda ao Divino. Desenvolvam uma sincera e profunda devoção a Deus."
(1) Sai Baba demonstrou como isso ocorre enquanto inalava e exalava o ar. (Nota do Tradutor)




Discurso proferido em 23 de agosto de 1995 em Prashanti Nilayam, Índia.
Fonte: www.sathyasai.org.br

Seja você mesmo - (Osho)


"Simplesmente seja você mesmo e isso é o bastante.

Você é aceito pelo sol,
você é aceito pelas estrelas,
você é aceito por todo este universo.

Você é aceito pelo oceano,
você é aceito pela terra,
você é aceito pelas árvores.
Simplesmente deleite-se neles.

Aceite humildemente sua imperfeição,
suas fraquezas,
seus fracassos.
Não há necessidade de fingir o contrário.

Seja simplesmente você mesmo.
"É assim que eu sou",
o que há de errado nisso?
Você é simplesmente humano.

Quando você se aceita,
você é capaz de aceitar os outros.
Aceitando-os,
você irá ajudá-los a aceitar a si mesmos.

Podemos provocar esta mudança:
você se aceita e aceita os outros.
E porque alguém os aceita,
eles aprendem quanta paz se sente,
e começam a aceitar os outros.

Se a humanidade toda chegar a esse ponto
em que cada um seja aceito,
boa parte da infelicidade irá simplesmente desaparecer,
os corações se abrirão
e o amor estará fluindo."

"Você é um volume do livro divino ..." - (Rumi)




"Você é um volume do livro divino;
Um espelho do poder que criou o universo;
O que você quiser, peça de si mesmo;
Tudo o que você está procurando só pode ser encontrado dentro de você."

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Quando você me olha - (Luciana Mello; Video)

"Eu permito ..." - (Chico Xavier)


A Manifestação consciente da nossa realidade - Parte 2 - (Rodrigo Durante)


(Continuação da Parte 1)

"Neste processo que estamos passando, é importante estarmos atentos o tempo todo ao que sentimos, prestar atenção nas emoções que estão nos motivando a tomar qualquer atitude durante nosso dia. Por exemplo, se precisamos fazer algo em nosso trabalho mas sentimos desânimo, ou algo nos segura, ou certa insegurança, prestem atenção nas emoções que estão por trás disso. O mesmo em casos em que ficamos preocupados ou nervosos, que alguma coisa nos tira do sério, nossas vontades, o que nos está motivando a ter certas vontades e a tomar certas atitudes. Pode ser medo de algo, trauma, programação negativa, condicionamentos, achar que precisamos nos defender ou proteger de alguma coisa, que algo de ruim pode acontecer, que teremos que fazer algo desagradável, que alguém nos prejudicará, que nos julgarão, que deixaremos alguém triste, que seremos perseguidos, várias coisas.

Tudo isso que encontrarem e também seus sintomas físicos como dores crônicas ou pontuais, doenças, sonhos ou pensamentos recorrentes, pessoas com as quais sentem dificuldades de relacionamento etc. são tópicos para reprogramarem suas crenças e que também podemos tratar nas sessões de Terapia Multidimensional.

Agora, gostaria de compartilhar algo novo com vocês. Desde a época de meu avô fala-se muito em reprogramação mental, em fazer afirmações positivas sobre o que queremos manifestar em nossas vidas. Eu pessoalmente há vários anos que as faço e, embora a TM também também tenha me ajudado muito a me livrar de certos padrões negativos, em muitos assuntos continuo manifestando os mesmos resultados desagradáveis.

Há poucos dias fiquei sabendo de uma descoberta (óbvia) de que nosso cérebro rejeita certas afirmações que considera "mentira" e até acaba reforçando o oposto, que o método para nos reprogramarmos é outro: trata-se de fazer perguntas. Por exemplo, ao invés de afirmarmos "sou rico" (nosso cérebro rejeita na hora), perguntamos para nós mesmos "por que sou tão rico?" e damos um espaço para que nosso cérebro assimile esta informação, crie as respostas no subconsciente e programe-o com as informações do porque somos ricos. Não precisamos buscar a resposta conscientemente, nossa mente faz este trabalho sozinho. Dessa forma nosso subconsciente que é o grande "manifestador" da nossa realidade pode ser reprogramado.

As perguntas devem ser todas positivas e feitas como se já fôssemos aquilo que perguntamos. Por exemplo, não é para perguntar "por que tenho medo de ficar sozinho?", o correto é "por que estou tão bem comigo mesmo?", "por que me sinto tão seguro?", sempre corrigindo o padrão limitante que encontrarem em si mesmos e dando alguns segundos de silêncio mental para as mudanças ocorrerem em nosso sistema.

Eu tenho testado isso e já percebi grandes diferenças em meu humor, confiança, paz mental e ânimo. Em algumas perguntas senti até as mudanças em meus chakras! Testem com perguntas como "por que me amo incondicionalmente?", "por que me permito ser quem eu realmente sou?", "por que me expresso com tanta facilidade?", "por que a vida me trata tão bem?", "por que confio tanto em Deus e no universo?", "por que minha mente está tão calma e serena?", "por que sempre opto por alimentos saudáveis?" e assim por diante...

Este é um trabalho de persistência e aprendizado, de curas e transformações. Na medida em que forem se redescobrindo e encontrando seus próprios bloqueios, limitações e também seus potenciais que estavam aí escondidos, estarei à disposição para ajudá-los em suas dúvidas e no que for preciso.

Fiquem com Deus,

Namastê!"



* Rodrigo Durante - Terapeuta Multidimensional, praticante e professor de Cura Eletrônica nível II.

A manifestação consciente de nossa realidade - Parte 1 - (Rodrigo Durante)



"Somos todos feitos de energia e por isso estamos constantemente vibrando e atraindo pessoas e situações na mesma sintonia. Não sei quanto a vocês, mas já passei certos apertos financeiros em minha vida. Por mais que me esforçasse no trabalho e em minhas práticas espirituais, ocorriam verdadeiros "milagres financeiros negativos" que sempre apareciam para tirar meu dinheiro e me manter sempre no nível da sobrevivência. Tinha apenas o necessário e as vezes menos, nunca mais do que isso. E buscando uma cura para isso entendi que era eu mesmo que criava todas estas limitações que vivenciei. Nesta busca aprendi muitas coisas, vou lhes passar um pouco deste conhecimento. Nossa realidade física é materializada de acordo com um sistema de crenças que temos programadas em várias dimensões de nosso ser. As crenças são programações mentais poderosas que definem quem nós somos. Apenas uma pequena parte destas crenças são conscientes, a maioria são inconscientes. Em 99% do tempo estamos criando inconscientemente.

A partir de uma crença, muitos pensamentos e situações são atraídos para justificarem esta crença. Assim funciona o mental e o emocional. Alguém pode falar "eu estou falido porque meu sócio me passou a perna", justificando o fato com o sócio ladrão. Mas de fato o que atraiu este sócio em primeiro lugar? A bendita crença. Sempre tem uma crença por trás de tudo o que manifestamos.

Tudo o que vemos aqui são manifestações de crenças. Existem crenças coletivas e crenças individuais. A lei da gravidade por exemplo é uma crença coletiva, assim como o tempo, as necessidades fisiológicas, a morte, a separação de Deus etc. São acordos coletivos para este determinado tipo de experiência que estamos vivendo na matéria.

Agora existem as crenças individuais que temos e que definem como nós somos e como é a nossa vida. Se a vida é fácil ou difícil, se somos saudáveis ou temos a saúde frágil, se somos seguros ou inseguros, pró ativos ou reativos e assim por diante.

Elas estão enraizadas tão profundamente que acreditamos que somos aquilo mesmo e até a defendemos. Ao conjunto de crenças responsáveis por determinada faixa dimensional ou vibratória damos o nome de "matriz", ou "matrix", como no filme.

Mudar o padrão de limitações que trazemos já desde muito tempo é um processo de autoconhecimento e reprogramação de crenças. Para tanto, são necessários 4 coisas:

- Assumir 100% da responsabilidade por tudo o que acontece (e já aconteceu) em nossa vida. Colocar-se no papel de vítima culpando o acaso, Deus, o governo ou os outros não nos serve mais como desculpa, somos nós que atraímos e manifestamos tudo. Quando assumimos a responsabilidade por nossa vida, recuperamos o poder que demos aos outros e as coisas e pessoas passam a não ser mais tão assustadoras como quando achávamos que tudo podia nos atingir. Agora sabemos que tudo é uma manifestação de nós mesmos e o que vemos fora é uma projeção do que temos dentro. Desta forma aprendemos também a perdoar e a não sobrecarregar os outros com nossas próprias expectativas.

- Superar o orgulho e a vaidade e aprender a olhar para nossa própria sombra sem defender as inúmeras máscaras que criamos ao longo de nossa vida. Sem humildade paramos de aprender e ficamos estagnados na mesma situação, eternamente achando que os outros é que estão errados e tudo tem que mudar, menos a gente.

- Ter a motivação e disciplina para se cuidar, não deixar-se abater e procurar sempre estar vibrando o mais elevadamente possível.

- Aprender a viver com 100% de confiança e 100% de entrega. Substituir nossas crenças limitantes por outras que nos auto-empoderam e submeter a vontade do nosso ego à Vontade de Deus. Muitas vezes idealizamos algo que queremos pois aquilo é o que representa para nós uma vibração ou emoção que queremos sentir, porém Deus e nosso Eu Superior entendem de vibração muito mais do que a gente e as vezes tem algo muito melhor para nos oferecer do que aquilo que imaginamos, só que nós atrapalhamos essa manifestação com nossa teimosia, preocupação e ansiedade.

A Terapia Multidimensional ajuda (e tem me ajudado) nisso curando as origens de determinadas crenças e emoções que ainda atuam negativamente em nossa realidade, porém, trazer esta mudança para o consciente e ainda aprender a criar conscientemente é uma obrigação nossa, é parte do nosso aprendizado de vida. A TM (ou qualquer outra terapia) é muito mais eficaz quando a pessoa utiliza a este tratamento como uma ferramenta para ajudar em seu processo cura e aprendizado e não para fazer o trabalho que é o próprio motivo de estarmos aqui.

Nós somos o mesmo que Deus é. Somos seres ilimitados, porém, nesta experiência nos programamos para sentirmos como se fossemos o contrário. Para este aprendizado, nosso ego assumiu o papel de Deus e busca incessantemente através do mental e do emocional suprir a Sua falta. Isso é uma grande ilusão, na verdade Deus nunca se separou de nós, mas sentimos como se fosse o contrário, sentimo-nos como indivíduos separados de tudo e de todos. Precisamos então abrir mão de todas estas programações que defendemos como sendo nós mesmos para acessar nossa essência divina e a partir daí entrarmos no fluxo divino do amor e da abundância.

Toda esta reforma não ocorre de uma hora para outra (olha aí uma crença limitante minha!) e são várias camadas de criações mentais que temos para limpar e transmutar.

É engraçado que todos temos esta sensação de que em algum momento de nossas vidas já estivemos melhores, mas, na verdade, nunca estivemos tão bem como agora. É que as vezes temos que descer um pouco para curar certas feridas que ficaram e que estão nos segurando em vibrações mais baixas, nos impedindo de subir ainda mais. Mas não se preocupem, seus aprendizados e sua consciência não param nunca de crescer!

Agora, peço encarecidamente que continuem a ler a parte 2 do texto. Os caracteres aqui são limitados e gostaria de compartilhar algo novo com vocês.

Namastê!"




* Rodrigo Durante - Terapeuta Multidimensional, praticante e professor de Cura Eletrônica nível II.
http://somostodosum.ig.com.br/clube/c.asp?id=32338

"Para viver uma vida criativa ..." - (Joseph Chilton Pearce)


"Esteja presente como o observador da sua mente..." . (Eckhart Tolle)


"Esteja presente como o observador da sua mente - de seus pensamentos e emoções, bem como suas reações em várias situações. Seja pelo menos tão interessado em suas reações como na situação ou pessoa que faz você reagir.
Observe também quantas vezes sua atenção está no passado ou no futuro.
Não julgue ou analise o que você observa. Assista o pensamento, a emoção, observe a reação. Não os torne um problema pessoal. Então você vai sentir algo mais poderoso do que qualquer uma dessas coisas que você observa: a presença observadora imóvel, por trás do conteúdo da sua mente, o observador silencioso."
(Eckhart Tolle)

terça-feira, 23 de outubro de 2012

"Que ninguém venha a ti sem que ..."


"Que ninguém venha a ti sem que volte melhor e mais feliz...
Não há em todo o mundo um único ser que sendo amado, não se torne pacífico"
(Madre Tereza de Calcutá)

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

"O Amor mudará você ..." - (Mensagens canalizadas; publicada por Maria Elisete)


As cores da nossa aura - ( Espaço SELF - Núcleo de Estudos da Consciência Microcósmica e Macrocósmica)


"Existe uma correlação entre o estado geral de corpo-mente-alma de uma pessoa e seu corpo vibratório. Danos à alma, tensão e fraquezas físicas tornam-se perceptíveis através de sua Aura, antes mesmo de se manifestarem em você, como depressões, fadigas e doenças. Para quem não sabe, uma das maneiras de deixá-la equilibrada e energizada, é tomar banho de água com sal grosso.

A espessura da aura é proporcional à quantidade de pensamentos bons e maus. Esses pensamentos se convertem em luz, somando-se a luz do corpo espiritual. Ao contrário, quando os pensamentos e atos sãos maus, estes se convertem em nuvens do corpo espiritual. Externamente, quando se faz o bem aos outros, os pensamentos de gratidão das pessoas beneficiadas também se convertem em luz. Transmitidos através do fio espiritual para a pessoa que praticou o bem, aumentam sua luz. Quando, ao contrário, a pessoa recebe transmissões de pensamentos de vingança, ódio, ciúme ou inveja e suas nuvens aumentam.

Para assegurar a boa luminosidade de sua Aura, todo cuidado é pouco. Ciúme, raiva, ódio ou inveja podem atuar negativamente sobre o equilíbrio dos campos energéticos. O primeiro passo é combater as situações de estresse com constantes exercícios de relaxamento, caminhar todos os dias sob o Sol e viver situações que promovam a alegria e o bom humor. Aura foi material de estudos pelo físico russo Samuel Kirlian, que criou a Kirliangrafia, um método que permite a visualização e análise da Aura, através de sua fotografia. Ela é constituída de quatro campos, camadas, e através dela pode-se detectar visualmente o campo energético de um ser humano:

Aura da saúde física - Aura astral ou emocional - Aura mental - Aura do corpo etérico.

Existe uma técnica simples para visualizar a Aura de uma pessoa, usando sua intuição:

Coloque-se na frente da pessoa e fixe seu olhar nos intercílios, no terceiro olho da pessoa, na parte superior entre os dois olhos. Conte até 5 e feche os olhos por alguns segundos. Após isso, fixe sua atenção no alto da cabeça da pessoa que está à sua frente. Conte até 5 novamente e feche os olhos se perguntando mentalmente qual a cor da Aura da pessoa. A resposta deverá vir imediatamente, com você intuindo ou visualizando a cor mentalmente.

Caso não consiga nas primeiras tentativas, continue tentando, não desista, pois tudo, inclusive energeticamente falando, é uma questão de treino. Com o tempo, ao adquirir prática, tente se concentrar nessa mesma região, no topo da cabeça da pessoa por alguns segundos, de olhos abertos e mentalizando a intenção de ver a Aura da pessoa, e com certeza você adquirirá aptidão de enxergar sua cor com seus próprios olhos. Vale a pena tentar, pois o visual é muito bonito e gratificante, caso a Aura da pessoa esteja vibrante e cristalina.

Abaixo, algumas qualidades principais das cores da Aura, referentes à sua segunda camada, que representa o estado de nossa alma:

VERDE
Autoconfiança, capacidade de resolver problemas e de perdoar. Pessoa que ama a paz; sensibilidade. É organizador, planejador e estrategista.

AMARELA
Capacidade de dar e receber; ter esperanças; a saúde e a família desempenham um papel importante. Tem o dom de trabalhar em grupo harmoniosamente. O amarelo é uma das cores cinestésicas do espectro; isso significa que uma pessoa com aura desta cor tem uma reação física antes de ter uma resposta emocional ou intelectual. Quando ele entra numa sala cheia de gente, sabe de imediato se quer permanecer ou não.

AZUL
Capacidade de curar através das próprias energias mentais e espirituais; age sobre os outros de modo agradável e calmante; altos ideais de vida; sinceridade. O Azul personifica as características do cuidado e do carinho. É a cor da aura que mais se preocupa em ajudar os outros.

LARANJA
Destemidos, poderosos e descuidados com a própria segurança pessoal, brandem os punhos fechados contra o próprio Deus. Sua busca espiritual é, na verdade, uma busca de um sentido de vida além de si mesmo.

DOURADA
Adora saber como e por que uma determinada coisa funciona, e lança mão de uma paciência infinita. A espiritualidade, para a pessoa de aura dourada, é o estudo da ordem superior do universo e de leis e princípios que o governam. Ele quer entender a organização mental, as leis ou as probabilidades que geraram a ordem no interior do caos espiritual.

VERMELHA
Ênfase no modo de vida material; sucesso alcançado através da dedicação pessoal completa; saúde física estável; tendência à irritabilidade quando contrariada.

VIOLETA
Espiritualidade bem desenvolvida; inspirações criativas; capacidade de transformar os sofrimentos pessoais em fatores positivos para o próprio destino. O violeta é a cor do espectro mais próxima do equilíbrio psíquico, emocional e espiritual em vigor no planeta neste momento.

PRATA
Um curandeiro, médium natural. Utiliza energia para transformar luz em em raios que curam, seu maior desafio é aprender a se conhecer e descobrir seus dons especiais.

ANIL OU ÍNDIGO
A aguda perspicácia intelectual é um dos aspectos mais gratificantes e mais exasperantes, é brilhante e inquiridor, com uma inteligência que vai muito além dos conceitos mais tradicionais.

Luz e Consciência
Aloha "


Equipe Espaço SELF - Núcleo de Estudos da Consciência Microcósmica e Macrocósmica contato@nucleoself.com.br
http://somostodosum.ig.com.br/clube/c.asp?id=32284

Acidez energética - (Teresa Cristina Pascotto)


"Quanto mais uma pessoa desenvolve e equilibra seu corpo mental, sintonizando-o com a Consciência Divina e recebendo seu influxo de luz e sabedoria, mais se torna alvo de vampiros mentais. Este tipo de vampiro é aquele que inveja e cobiça as capacidades mentais dos outros e nada faz para desenvolver suas próprias capacidades, mas passa a vida tentando se afinizar com pessoas que possuem um corpo mental mais evoluído. Este perigoso vampiro vive perseguindo seus eleitos e tem forte poder de sedução e persuasão, levando a pessoa que tem capacidades mentais mais evoluídas a se tornar seu hospedeiro. Quando consegue driblar as fracas defesas da pessoa de mente mais evoluída, ele se instala confortavelmente em seu novo "hotel-mental 5 estrelas".

A pessoa mental, quando muito envolvida e focada em seus processos mentais, acaba se isolando e se desconectando da realidade física, criando um lugar secreto, numa realidade paralela, onde vive experiências só suas. Ela se tona muito desatenta ao que acontece à sua volta na realidade física e não se protege nem se defende, o que a torna presa fácil de qualquer vampiro mental. É uma pessoa muito solitária, mas ela não liga muito para isso, pois tudo o que ela vive em seu mundo particular é extremamente gratificante, suas experiências mentais equilibradas sempre a levam para muito além, facilitando sua conexão com esferas mais elevadas de luz e consciências. Isto é tão divino, que ela acaba se afastando das pessoas e da realidade, ela não sente vontade de estar no mundo e não percebe o que está fazendo consigo mesma: cavando o buraco da solidão.

Porém, em determinados momentos, a pessoa mental se sente carente e se conecta com a "vida física", sentindo vontade de estar com as pessoas, mas quando se dá conta, não encontra ninguém com quem compartilhar experiências, interagir e viver bons momentos. Ela se afastou tanto, que quando "volta", não alcança os demais, pois estes se tornaram mais densos, se comparados com as frequências mais elevadas que ela alcançou. Quando toma consciência deste distanciamento, ela se entristece, sentindo o peso da solidão. A carência a vulnerabiliza e ela se abre demais para poder estar com alguém. O vampiro que estiver rondando-a sente a abertura e se aproveita para "entrar e se instalar" em seu corpo mental. A pessoa, em sua carência, está tão ávida de estar com alguém, que se ilude achando que a energia do vampiro "encantado com seu corpo mental", é uma energia de carinho, quando na verdade é uma energia de interesse. O vampiro não quer apenas a energia vital da pessoa, mas quer o máximo que puder sugar de seus "poderes mentais".

Em seu desenvolvimento, o corpo mental desta pessoa tornou-se um perfeito hospedeiro cheio de condições favoráveis ao crescimento, tornou-se o paraíso dos vampiros mentais, que se alimentam de todo o saber e conhecimento dapessoa mental, e das condições energéticas que ela criou para se manifestar no mundo - ela não usa essas condições, pois não se importa muito em "ter", apenas se envaidece e se encanta com o "saber criar". Os vampiros não fazem nenhum esforço, apenas se instalam e extraem tudo o que precisam - planos, ideias, informações, projetos, recursos, energias mentais que tem o poder da precipitação -, e utilizam tudo, criando novas condições e possibilidades em sua própria vida, promovendo grandes mudanças, enquanto apessoa mental é apenas a fonte inesgotável de recursos, que assiste os vampiros se erguendo e se realizando, às suas custas, enquanto sua própria vida está paralisada.

Quanto mais esta condição se estende na realidade da pessoa mental, mais ela se torna solitária e isolada, pois não conquista amigos e parceiros, mas apenas vampiros hospedados em seu mental, que se sentem verdadeiros donos de sua energia mental. É extremamente difícil retirar esses vampiros da mente. A pessoa mental torna-se resignada a essa circunstância e abre mão de suas defesas, tornando-se mais vulnerável.

Chega um ponto de saturação em que a pessoa mental já perdeu muitos dos recursos que criou para sua vida e não consegue modificar e criar absolutamente nada em sua realidade, ela apenas consegue se sentir melhor e mais equilibrada, porém, estagnada. Isso a leva ao ressentimento e à raiva, provocando uma explosão de ódio. Nessa explosão ela consegue arrancar alguns vampiros e se sente um pouco mais leve. Mas como não se preocupa em criar defesa e proteção, logo os vampiros retornam e com mais poder.

A pessoa mental passa por vários ciclos de resignação e de explosão, mas nunca consegue expulsar seus hóspedes e nunca consegue se realizar. Apesar da dor, ela desconsidera tudo e volta seu foco para o plano mental, tornando-se excessivamente alheia à vida.

Prosseguindo em seu processo de crescimento, é chegado um ponto em que finalmente a pessoa mental toma consciência plena dessa dinâmica oculta em que vive e consegue enxergar, com muita clareza, que seu ego está distraindo-a e deixando-se atacar e invadir. Ela percebe, finalmente, que sempre permitiu e favoreceu a todos - que lhe eram "gratos por sua hospedagem perfeita"-, porque isso lhe trazia a falsa sensação de ser "amada" e de "estar inserida no mundo". Isso lhe traz muita dor e amargura.

Com a tomada de consciência, a pessoa mental resolve criar condições para sua verdadeira libertação, expulsando todos os vampiros de seu corpo mental. Ela percebe que não dá mais para usar os velhos recursos: alienação e resignação ou fúria e explosão. Ela começa a se dedicar em gerar e utilizar seus recursos divinos para criar uma "arma" que extermine todos os parasitas que estão em sua mente. Aqui não há explosão ignorante, mas o acesso à sabedoria interior que traz àpessoa mental um poderoso recurso para eliminar os vampiros: com toda a amargura e dor da constatação da realidade, a pessoa não explode de raiva, mas torna-se ácida. Sentindo e aceitando essa acidez, ela poderá usá-la intencionalmente. Ela precisará desejar intensificar essa acidez, para que esta se potencialize, criando uma grande onda ácida que lavará todos os recônditos ocultos de sua mente onde seus parasitas se abrigam. As ondas conscientes de ácido penetrarão todos os lugares de seu mental. Este "ácido", não faz mal à pessoa mental, pois é seu "exercito de salvação". O vampiro que não quiser ter sua energia dilacerada com esse ácido deverá sair rapidinho do corpo mental do hospedeiro. Ao ser tocado pelo ácido, o vampiro será contaminado e tudo o que ele "tirou e sugou" da pessoa mental lhe será extraído, e todos os seus tentáculos energéticos que estavam aferrados ao corpo mental da pessoa, serão dizimados. Este ambiente mental mais ácido deverá ser mantido por um tempo, até que isso vibre em informação(sem acidez), deixando claro para os vampiros que se tentarem se aproximar e invadir novamente, serão exterminados. Aqui nascerá o respeito dos vampiros, que se afastarão, pois saberão que a "fonte do saber" se tornou perigosamente ácida."


* Teresa Cristina Pascotto - Atua através da manifestação de seus dons naturais, é sensitiva. Desenvolve um trabalho de Aconselhamento Terapêutico, com metodologia própria. Considera-se uma pesquisadora do insconsciente, sempre em busca de novos conhecimentos sobre realidade oculta na mente humana.
http://somostodosum.ig.com.br/clube/c.asp?id=31956

"Se o homem conhecesse ..." - (Leon Denis)


quinta-feira, 18 de outubro de 2012

‎"Para realizar a maior parte da coisas que desejamos, ..." - (Augusto Branco)


‎"Para realizar a maior parte da coisas que desejamos, precisamos recuperar a magia da infância, precisamos recuperar o Mago que há dentro de nós, e fazer valer a crença de que confiando exclusivamente em nós mesmos, podemos ultrapassar qualquer fronteira!"
(Augusto Branco)

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

‎"A gratidão desbloqueia a abundância da vida ..." - (Melody Beattie)


‎"A gratidão desbloqueia a abundância da vida.
Ela torna o que temos em suficiente, e mais.
Ela torna a negação em aceitação, caos em ordem, confusão em claridade.
Ela pode transformar uma refeição em um banquete, uma casa em um lar, um estranho em um amigo.
A gratidão dá sentido ao nosso passado, traz paz para o hoje, e cria uma visão para o amanhã."
(Melody Beattie)

‎"A alma ..." - (Patanjali)


‎"A alma não ama, ela é o Amor em si.
Ela não existe, ela é a Existência em si.
Ela não sabe, ela é a Sabedoria em si."
(Patanjali)

Cuidado com a energia sexual - (Flávio Bastos)



"Energia sexual é energia criativa que move a vida, nossas vontades e desejos" (Carl Gustav Jung)


O objetivo desse artigo não é julgar moralmente o praticante do sexo casual ou adeptos das demais modalidades sexuais ditas não "convencionais", mas resgatar do milenar ensinamento filosófico-religioso taoísta da China antiga, do também milenar conhecimento tântrico indiano e do secular espiritismo, algumas informações e tópicos que sejam compatíveis com o tema escolhido para o texto. É o que veremos a seguir.

O sexo, admirável fonte de felicidade e prazer, devido ao fácil apego que gera, sempre foi causa também de sofrimentos e deturpações. Prostituição e exploração sexual existem desde tempos imemoriais, mas atualmente adquiriram uma dimensão tal que o sexo, associado à propaganda, estimulado pela mídia e incentivado como uma maneira de viver, desviou-se totalmente da fonte de alegria e prazer que sempre foi.

A banalização do sexo veio como consequência da banalização do amor. Não deveria haver problemas ou proibições religiosas, exigências de celibato ou cobranças de fidelidade, mas como se perdeu a noção do que seja o amor e esse foi substituído pelo apego, gerando ciúmes, vinganças e desejos irrefreados de repetição do prazer sexual, o sexo acabou se tornando um problema a ser enfrentado e combatido.

SEXO, PERMUTA DE ENERGIAS

Sempre que corpos se unem num beijo, num abraço ou até num simples toque, ocorre uma troca de energias. Se a união é sensual, num beijo ou num ato sexual, a liberação energético-informativa hormonal que ocorre, estimula todas as células do corpo e torna a transferência energética muito mais intensa. A relação sexual é uma troca íntima de fluidos vitais, hormônios e energia sutil. O clímax, no orgasmo, é o ápice na formação de um vínculo energético entre os parceiros. Cria-se, então, uma memória energética celular comum, um evento que liga permanentemente os dois parceiros.

Desse ponto de vista não há sexo seguro, pois sempre há troca e vínculo energéticos que fazem com que o(a) parceiro(a) permaneça em nós. Dessa forma, como dentro da experiência sexual há uma troca química, hormonal e energética profunda, se o ato sexual é efetuado com pessoas fora de sintonia com a nossa frequência pessoal, todo o "lixo" daquela pessoa virá para desarmonizar a nossa vibração.

SEXO E AMOR

Toda vez que determinada pessoa convida outra à comunhão sexual ou aceita de alguém um apelo nesse sentido, em bases de afinidade e confiança, estabelece-se entre ambas um circuito de forças, pelo qual a dupla se alimenta psiquicamente de energias espirituais em regime de reciprocidade. Podemos questionar: Sem amor, por que querer nos ligar a alguém que pouco ou nada conhecemos?

O verdadeiro amor não é possessivo e não busca incessantemente o sexo, pois por si só já é desapegado e fonte inesgotável de prazer. Porém, atualmente, quando se fala de amor, fala-se de satisfação de carências do ego. Ama-se com o cérebro e não com o coração.

Ser atraente sexualmente e "livre" é a moda atual e vive-se em busca de valores sensoriais. Na falta de uma maneira mais profunda de se viver, mergulha-se no prazer dos sentidos como uma fuga, e o sexo é o maior desses prazeres. A sexualidade que deveria ser uma ponte em níveis mais elevados de consciência, perde-se no instinto e no apego sensorial, e erra o alvo correto que deveria ser a espiritualidade e a ligação espiritual/amorosa entre dois seres.

SEXO, FREUD E A MÍDIA

Desde o advento da psicanálise, com Sigmund Freud, o homem descobriu que entre os processos psicológicos havia uma interpenetração de fatores sexuais. Freud, entretanto, atribuía a esses fatores sexuais as causas dos processos psicopatológicos. O seu trabalho foi importante porque mostrou como o fator sexual pode entrar no homem, manipulando-o a vontade para fazer dele um indivíduo melhor, pela psicoterapia.

No entanto, como todo conhecimento humano é bem e mal utilizado, a grande onda de sensualismo que a mídia nos impõe, vem dessa manipulação. O interesse não é outro senão ganhar dinheiro e criar postos de poder, pois utilizam-se para isso, pontos da fraqueza humana que foram descobertos com finalidades terapêuticas para induzir o indivíduo à dependência psíquica, infelizmente. Como fizeram com a pólvora - inventada para fins úteis - em guerras, fizeram dos conhecimentos da sexualidade nos mecanismos psicológicos de Freud, máquinas de ganhar dinheiro e poder, usando manipulação e dependência.

SEXO E (AUTO)RESPONSABILIDADE

Se não dominarmos nossos impulsos sexuais, poderemos ser prejudicados pelas amarras cármicas por onde fluem sentimentos entre as pessoas conectadas pelas relações sexuais. Por exemplo, se dormirmos com uma pessoa mal humorada, com crises de depressão, ou com muita raiva, passamos a vivenciar essas pesadas emoções de nosso(a) parceiro(a). Muitas vezes, inclusive, começamos a apresentar o mesmo comportamento daquele(a)...

Seria mais inteligente de nossa parte escolher com cuidado nossos(as) parceiros(as). O estado emocional que experenciarmos na hora da relação, será o que iremos implantar em nossos(as) companheiros(as). Antes de nos envolvermos com alguém, devemos ponderar amorosamente o que isso vai gerar na outra pessoa e em nós mesmos. Por isso, conhecer o caráter dessa pessoa, torna-se importante em toda relação de entrega íntima.

Sexo é espírito e vida a serviço da felicidade e da harmonia do universo. Consequentemente, reclama responsabilidade e discernimento, onde e quando se expresse. Por isso mesmo, o indivíduo precisa e deve saber o que fazer com com a sua energia sexual, observando como, com quem e para quem se utiliza de tais recursos, entendendo-se que todos os compromissos na vida sexual estão igualmente subordinados à Lei de Causa e Efeito; e, segundo esse exato princípio, de tudo o que dermos a outrem no mundo afetivo, outrem também nos dará.

CONCLUSÃO

Sem "fórmulas prontas" a respeito do comportamento sexual humano, o que na verdade não existe, deixemos que Emmanuel, através da psicografia de Chico Xavier, conclua com a sensibilidade e a visão dos grandes mestres: "Diante do sexo não nos achamos à frente de um despenhadeiro para as trevas, mas perante a fonte viva das energias em que a sabedoria do universo situou o laboratório das formas físicas e a usina dos estímulos espirituais mais intensos para a execução das tarefas que escolhemos, em regime de colaboração mútua, visando ao rendimento do progresso e do aperfeiçoamento entre os homens".

FONTES DE CONSULTA

"Vida e sexo", Emmanuel/chico xavier

"A energia sexual", por Claudio Azevedo (www.orion.med.br/portal)

"A energia sexual e a espiritualidade", por Maria C. Zacharias (www.pedacinhosdeluz.blogspot.com)"

terça-feira, 16 de outubro de 2012

‎"Nossa recompensa ..." - (Mahatma Gandhi)


‎"Nossa recompensa se encontra no esforço e não no resultado. Um esforço total é uma vitória completa."
(Ghandi)

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

"Todo o bem que eu puder fazer, ..." - (James Greene)


‎"Todo o bem que eu puder fazer, toda a ternura que eu puder demonstrar a qualquer ser humano, que eu os faça agora,
que não os adie ou esqueça, pois não passarei duas vezes pelo mesmo caminho."
(James Greene)

Feeling Good - (Nina Simone)





Feeling Good - (Nina Simone)

Birds flying high you know how I feel
Sun in the sky you know how I feel
Breeze driftin' on by you know how I feel

(refrain:)x2
It's a new dawn
It's a new day
It's a new life
For me
And I'm feeling good

Fish in the sea you know how I feel
River running free you know how I feel
Blossom on the tree you know how I feel

(refrain)

Dragonfly out in the sun you know what I mean, don't you know
Butterflies all havin' fun you know what I mean
Sleep in peace when day is done
That's what I mean

And this old world is a new world
And a bold world
For me

Stars when you shine you know how I feel
Scent of the pine you know how I feel
Oh freedom is mine
And I know how I feel

(refrain)

‎" A mulher deve ser meiga, companheira do marido ..." - (Mahatma Gandhi)


‎" A mulher deve ser meiga, companheira do marido, tanto na alegria como na tristeza. O homem deve ser amigo da mulher e, no seu amor, deve respeitar sua alma e seu corpo como sagrados que são."
(Ghandi)

sábado, 13 de outubro de 2012

‎"Quando a mente é o mestre, ..." - (Deva Shabdam Janete)


‎"Quando a mente é o mestre,
você vive em um inferno.
Quando você é o mestre de sua mente,
você vive na terra dos Budas."
(Deva Shabdam Janete)

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

‎"Você é um ser espiritual, vivendo em um mundo material ..." - (Owen K. Waters)


‎"Você é um ser espiritual, vivendo em um mundo material e dotado secretamente de inteligência divina e de poder criativo.
Você tem apenas que se interiorizar, em seu verdadeiro ser, e conectar-se com os níveis espirituais da consciência. Quanto mais familiarizado você se torna com estes níveis expandidos da consciência, mais potencial se torna disponível a você para a criação de uma vida e um mundo melhor. "
(Owen K. Waters)

FUGIR - Satyaprem no Alternativa Saúde - (Video)

"O discípulo é um florescimento ..." - (Prem Baba)


quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Autorização para ser inteira! - (Rosana Braga)


"Queremos tudo. E queremos tudo perfeito. Mas isso não basta. Além de tudo perfeito, queremos para ontem. E sabe o que conseguimos? Frustração, ansiedade e sofrimento. Veja bem! Realmente não acho que devemos nos conformar com uma vidinha mais ou menos, com a mediocridade ou com realizações, desejos e sensações sempre mornas. Não é isso!

Mas às vezes ainda me surpreendo com essa mania -desgastante e ineficiente, diga-se de passagem- que a maioria das pessoas tem de acreditar que os extremos são mais interessantes. Ou temos de estar absurdamente felizes e completos e radiantes. Ou nos afundamos numa tristeza profunda, sem conseguir enxergar luz ao final do túnel.

O problema é essa ilusão de que só o sol e o calor são bonitos e gostosos. Como se só os sorrisos e as vitórias fossem bons. Não tem essa de bom ou ruim. O que tem é a vida. E a vida inclui sorrisos e vitórias, mas também dias frios, chuvosos, nublados... tristezas, enganos, dúvidas. A vida inclui, inclusive (perdoem-me a tautologia), a morte. Como toda boa história, tem começo, meio e fim. Morte não é o oposto de vida. É vida também.

Mas como não aceitamos, como brigamos e resistimos e nos revoltamos com o que julgamos não bonito ou não bom, sofremos. Perdemos a chance única de encontrar a poesia e a arte contidas no entremeio. Nem preto, nem branco. Todas as cores. Todos os tons. Todas as intensidades. Todos os sentimentos.

Sabe qual é o cúmulo da maluquice humana? É se sentir culpado por estar triste. É achar que chorar é coisa de gente fraca. É fingir que está tudo bem quando se está desabando por dentro. É usar máscaras e mais máscaras para negar a si mesmo. Para não se permitir.

Também não estou aqui para fazer um tributo à depressão. A questão é essa falta de autorização para ser inteiro. É essa estranha posição que ocupamos de quem PRE-CI-SA ser feliz a qualquer custo, nem que seja de mentira. Nem que seja só para se encaixar. E sem se dar conta de que esse "ser feliz", assim tão contundente, tão perfeito, tão pra ontem, não existe, não se cabe, não se nutre.

Meu exercício, hoje, é para ser. Ser o frio, o calor, o nublado, o desfolhado, o sol, o vento e a chuva. Claro, escuro e crepúsculo. Dor e alegria. Quero me autorizar à inteireza. Ora resplandecente, ora murcha. Ora gargalhada, ora lágrima. Ora silêncio, ora voz. Ora um "plim" - que ótima ideia! Ora "ahhhh" - que "m" que eu fiz! Ser tudo, mas longe de perfeita. E somente por agora.

E assim, atenta ao que mais posso ser, sem julgar nem desmerecer, quero aprender que o perfeito é um modelo. Não existe. Não é ninguém. Sem rosto e sem alma. Sem coração e sem nome. Sem sobrenome. Sem a mágica e imperdível chance de viver. E de morrer. Para que a história da humanidade possa continuar a ser escrita. Cada dia mais belamente."


* Rosana Braga - é palestrante, jornalista, consultora em relacionamentos e autora dos livros "O PODER DA GENTILEZA" e "FAÇA O AMOR VALER A PENA", entre outros.
http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/c.asp?id=12436

Lema: Sentir! - (Grupo Espiritualista Dr Goldenberg - Força Saint Germain)


A culpa não é do outro! - (Bruno J. Gimenes)


"É muito comum nos nossos cursos, encontrarmos pessoas que estão vivendo conflitos intensos em seus relacionamentos, e por conta disto, estão vivendo momentos de profundo desequilíbrio emocional, que por sua vez, abalam todos os aspectos de sua vida, como saúde, finanças, trabalho e outros relacionamentos.

AS RECLAMAÇÕES MAIS RECORRENTES SÃO:
"O meu marido é muito pessimista e cético, assim não consigo evoluir".
"A minha esposa é muito negativa e não quer evoluir, assim fica difícil".
"Com o meu pai comportando-se deste jeito, eu não tenho como resolver o problema, fica muito difícil".

Confesso que se eu fosse anotar neste texto todos os comentários que recebi somente na última semana, faltaria espaço!

E onde está o erro? Essas pessoas estão mentindo? É mentira que estes problemas existem?

Não, não é mentira não. Essas situações são comuns e ocorrentes na maioria dos relacionamentos, entretanto, a forma de lidar com tudo isso que é muito equivocada.

1- Atraímos pessoas para nossa vida por laços de afinidade e laços cármicos negativos (por que o carma também pode ser positivo);
2- No contexto da evolução espiritual e da missão da alma de cada ser humano, a missão das relações é produzir harmonização de sentimentos;
3- Automaticamente, pela ação de mecanismos naturais, as pessoas são gatilhos que podem disparar as emoções ruins que viemos curar. Portanto, elas não são as causadoras das emoções negativas, mas apenas reveladoras dos aspectos negativos que já existiam.


O PODER QUE VOCÊ DÁ AO OUTRO
O problema não é e nem nunca foi o que o outro faz e o seu conjunto de comportamentos, mas sim, como você se sente em relação ao que o outro faz. A partir disso, a chave desse processo é deixar ou não que os sentimentos negativos aflorados lhe dominem negativamente ou não.

Neste contexto, quando alguém diz que não consegue evoluir porque uma outra pessoa a influencia negativamente, este acontecimento revela que ela está sucumbindo ao sentimento aflorado e não necessariamente a pessoa que age de um jeito desconfortável (para ela).


A CULPA É DE QUEM?
O outro pode até ter comportamentos que não sejam sensatos e até condenáveis de acordo com o padrão moral médio de uma sociedade, mas a culpa nunca é de outra pessoa! Devemos entrar em contato com o sentimento negativo que uma pessoa pode ajudar a aflorar de dentro de nós, e com isso, agir no sentido de curá-lo ou ao menos, amenizá-lo. Nunca jamais é culpa do outro.

Colocar culpa no próximo é determinar e anunciar aos quatro cantos que você não tem forças para se reinventar. As situações normalmente são desafiadoras, porque pedem que você tenha novas atitudes e que encontre forças para desenvolver o amor e a tolerância sem sofrer com isso. Em outras palavras, são situações recheadas de "ciladas emocionais", todavia, se a sua disposição para vencer o comodismo for grande, você certamente encontrará êxito!

O caminho é para dentro de cada um, na construção da autoestima, da conexão ampliada com a sua própria essência, na espiritualização e principalmente em encontrar e realizar a missão da sua alma, a qual é o propósito da sua existência."



* Bruno J. Gimenes - Professor e palestrante, ministra cursos e palestras pelo Brasil. Sua especialidade é o desenvolvimento da consciência com bases na espiritualidade e na missão de cada um. Autor de 9 livros. Criador da Fitoenergética e co-fundador do Luz da Serra (www.luzdaserra.com.br).
http://somostodosum.ig.com.br/clube/c.asp?id=32134

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Leis Hermeticas de IMHOTEP - (Video; Sueli Zanquim)




Prepare-se para voar - (Sabedoria dos Anjos, com Sharon Taphorn)


SABEDORIA DOS ANJOS com Sharon Taphorn, 8 de Outubro de 2012.

"Compreenda realmente em que você está trabalhando e tenha grandes sonhos. Deixe ir quaisquer pensamentos menos elevados em relação a si mesmo e os libere completamente. Você está se preparando para uma nova fase. Quanto mais clara for a sua intenção e quanto mais puder manter o seu foco, mais rápidas, maiores e brilhantes serão as suas criações. Não se preocupe com o “como”. Confie que se você pediu ajuda, ela virá. Quanto mais você criar conscientemente, mais magia acontecerá.

A energia está perfeita para as criações agora. Aprofunde-se e encontre a sua paixão. Não permita que nada e ninguém, especialmente você, o retenha. Alcance os seus sonhos, alcance as estrelas e se sentirá recompensado. Ofereça a sua gratidão a cada dia, pois há muito a ser grato e esta energia é parte do ciclo de dar e de receber. Esteja aberto a tudo que o universo tem a oferecer e confie que você é digno e merecedor.

Afirmação: “Estou preparado para voar e ver as criações dos meus sonhos se manifestando diante de mim”.

Você é ternamente amado e apoiado."


Direitos Autorais ©2012 por Sharon Taphorn
Todos os direitos reservados.
www.playingwiththeuniverse.com
Tradução: Regina Drumond

Leveza - (Dadi Janki)


"Evite usar seus olhos para ver o que não vale a pena ver. Deixe que comentários inúteis e negativos entrem por um ouvido e saiam pelo outro. Esses são os segredos para permanecer sempre leve. Portanto, cuide-se para não ficar pesado. Deus é tão leve! Fique leve e Deus ficará o tempo todo com você. A consciência de ser uma alma o levará para o silêncio e você se sentirá leve em um segundo. Seja cooperativo com todos e interaja com amor, mas cuide-se para não se envolver em grupos que se queixam e fofocam. Lembre-se: corvos pegam defeitos, cisnes pegam virtudes. Seja como um cisne. Pratique o silêncio. Seja sagrado."
(Dadi Janki)

terça-feira, 9 de outubro de 2012

"Eu não estou em parte alguma para ser encontrado! ..." - (Nisargadatta Maharaj)



‎"Eu não estou em parte alguma para ser encontrado! Não sou uma coisa, para ter lugar entre outras coisas. Todas as coisas estão em mim, mas eu não estou entre as coisas."
(Nisargadatta Maharaj)

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Servindo a onda da luz - (Vídeo; Robert Happé)

"A lei da mente ..." - (Buda)


A Força do Ho´oponopono - (Rubia A. Dantés)


"Quando entrei em contato com o Ho´oponopono pela primeira vez, foi através de um e-mail que contava a história de um terapeuta havaiano que havia curado todo um pavilhão de doentes mentais criminosos, sem sequer entrar em contato com nenhum deles... claro que aquilo me pareceu um milagre e algo a principio, impossível de acontecer, mas... como acredito em milagres e como o que estava escrito fazia sentido para uma parte de mim... Graças a Deus resolvi experimentar... digo Graças a Deus porque aquele e-mail foi um dos melhores presentes que já recebi na vida.

A partir daí fui compartilhando aqui minhas experiências com Ho'oponopono e buscando mais informações que, sempre chegavam em boa hora, clareando mais um pouco do processo.
Mas, o que eu mais fazia mesmo era praticar, entendia que a prática era muito mais importante do que o entendimento, e os resultados que alcançava não me deixavam dúvida que estava funcionando... Mas como sou curiosa também buscava toda informação possível sobre Ho'oponopono...
Com o tempo fui recebendo o retorno de muitas pessoas que também se beneficiavam com essa prática e cada vez mais Ho'oponopono foi sendo parte fundamental da minha vida e me revelando sua força.
As memórias equivocadas não deixavam de funcionar tentando me colocar dúvidas e dificuldades, mas sempre eram vencidas pela palavras mágicas "Sinto muito, Me perdoe, Te Amo, Sou Grata!

Um dos pontos que eu sentia mais dificuldade, como muitas pessoa, era o assumir os 100% de responsabilidade por tudo que está na minha realidade... Mas o próprio Ho'oponopono vai nos revelando a sabedoria que existe aí... e na medida em que você limpa as memória equivocadas que criam sua realidade dia após dia... mais Inspiração Divina te leva a perceber de forma simples e clara a verdade no Ho'oponopono.

Como nos fala Mabel Katz em seu livro " O Caminho mais fácil"
"Assumir 100% da responsabilidade é o caminho mais curto. Quando nos damos conta de que é somente nossa programação mental que nos impede de enxergar as coisas com clareza, paramos de culpar fatores externos e decidimos assumir a responsabilidade. Então as portas do paraíso se abrem para nós e alcançamos um estado de infinitas possibilidades."
Claro que quando temos certeza da verdade naquilo que estamos praticando é um incentivo a mais para persistirmos na prática, mas, independente de entendermos ou não, de acreditarmos ou não... Ho'oponopono funciona. Já pude comprovar isso inúmeras vezes pela experiência de pessoas que a principio não acreditavam e outras que praticavam de forma simples sem buscar entendimento... No processo do Ho'oponopono a mente racional não tem como entender, porque a cura é muito mais abrangente do que ela pode alcançar...

Um trecho da entrevista que o Dr Len deu a Cat Saunders
"Ho'oponopono é muito simples.
Para os antigos havaianos, todos os problemas começam com o pensamento. Mas o problema não está no simples pensar. O problema ocorre quando nossos pensamentos estão impregnados de memórias dolorosas a respeito de pessoas, lugares ou coisas.
O trabalho intelectual por si só não é capaz de resolver estes problemas, porque a função do intelecto é de apenas administrar. E não é administrando as coisas que se resolvem problemas. Você quer é se livrar deles!
Quando você faz Ho'oponopono, o que acontece é que a Divindade pega os pensamentos dolorosos e os neutraliza ou os purifica. Não se trata de neutralizar ou purificar a pessoa, o lugar ou a coisa. O que fica neutralizada é a energia que está associada a pessoa, lugar ou coisa. Portanto, o primeiro estágio de Ho'oponopono é a purificação da energia.
Então, eis que algo maravilhoso acontece. A energia não é apenas neutralizada; ela é também liberada, e tudo fica limpo. Os budistas chamam de Vazio. O último passo é permitir que a Divindade entre e preencha o vazio com luz.
Para fazer Ho'oponopono, você não precisa saber qual é propriamente o problema ou o erro. Você só tem que se dar conta de que está tendo um problema, seja ele físico, mental, emocional ou qualquer outro. Tão logo você o perceba, é sua responsabilidade começar imediatamente a limpeza, dizendo: "Sinto muito. Perdoe-me, por favor."

A força do Ho'oponopono é tão grande que é capaz de mudar a vida de uma pessoa, mas para isso é preciso praticar... muitas vezes, só fazemos isso nos momentos de grande sofrimento como uma última tentativa de nos livrarmos da dor, e depois deixamos de lado... Ho'oponopono, pode ser feito para tudo que nos incomoda, seja o que for que se apresente fora como um problema devemos perguntar o que em nós está causando aquele problema, e iniciar a limpeza das memórias equivocadas...
Essa limpeza diária vai nos deixando mais fortes e dando cada vez mais a certeza que sempre podemos fazer alguma coisa, seja lá o que for que nos apareça como problema, sempre podemos limpar a causa, uma vez que assumimos 100% de responsabilidade... e como as memórias são compartilhadas ao limparmos em nós, limpamos no todo.
A forma com que passamos pelas coisas passa a fazer toda a diferença... se o que antes parecia algo sem solução e, onde nos sentíamos de mão atadas, agora passa a ser visto como o efeito de memórias que podem ser liberadas... O que parecia sem solução não é mais visto assim...

Assim como eu, muitas pessoas também começaram com o Ho'oponopono a partir daquele e-mail que conta a história de um terapeuta havaiano... que compratilho com vocês



HO´OPONOPONO - por Joe Vitale
Há dois anos, ouvi falar de um terapeuta, no Havaí, que curou um pavilhão inteiro de pacientes criminais insanos sem sequer ver nenhum deles. O psicólogo estudava a ficha do preso e, em seguida, olhava para dentro de si mesmo a fim de ver como ele havia criado a enfermidade dessa pessoa. À medida que ele melhorava, o paciente também melhorava.

A primeira vez que ouvi essa historia, pensei tratar-se de alguma lenda urbana. Como podia alguém curar a outro, somente através de curar-se a si mesmo? Como podia, ainda que fosse o mestre de maior poder de autocura, curar a alguém criminalmente insano?
Não tinha nenhum sentido, não era lógico, de modo que descartei essa historia. Entretanto, escutei-a novamente, um ano depois. Soube que o terapeuta havia usado um processo de cura havaiano chamado "Hoponopono". Nunca ouvira falar dele, no entanto, não conseguia tirá-lo de minha mente. Se a história era realmente verdadeira, eu tinha que saber mais. Sempre soubera que total responsabilidade significava que eu sou responsável pelo que penso e faço. O que estiver além, está fora de minhas mãos.
Acho que a maior parte das pessoas pensa o mesmo sobre a responsabilidade.
Somos responsáveis pelo que fazemos e não pelo que fazem os outros. Mas isso está errado.

O terapeuta havaiano que curou essas pessoas mentalmente enfermas me ensinaria uma nova perspectiva avançada sobre o que é a total responsabilidade. Seu nome é Dr. Lhaleakala Hew Len.
Passamos, provavelmente, uma hora falando em nossa primeira conversa telefônica. Pedi-lhe que me contasse toda a história de seu trabalho como terapeuta. Ele explicou-me que havia trabalhado no Hospital Estatal do Havaí durante quatro anos. O pavilhão onde encerravam os loucos criminais era perigoso.
Em regra geral, os psicólogos se demitiam após um mês de trabalho ali. A maior parte do pessoal do hospital ficava doente ou se demitia. As pessoas que passavam por aquele pavilhão simplesmente caminhavam com as costas coladas à parede com medo de serem atacadas pelos pacientes. Não era um lugar bom para viver, nem para trabalhar, nem para visitar.

O Dr. Len disse-me que nunca viu os pacientes. Assinou um acordo para ter uma sala no hospital e revisar os seus prontuários médicos. Enquanto lia os prontuários médicos, ele trabalhava sobre si mesmo. Enquanto ele trabalhava sobre si mesmo, os pacientes começaram a curar-se. "Depois de poucos meses, os pacientes que estavam acorrentados receberam a permissão para caminharem livremente", me disse. "Outros, que tinham que ficar fortemente medicados, começaram a ter sua medicação reduzida. E aqueles, que não tinham jamais qualquer possibilidade de serem liberados, receberam alta". Eu estava assombrado. "Não foi somente isso", continuou, "até o pessoal começou a gostar de ir trabalhar. O absenteísmo e as mudanças de pessoal desapareceram. Terminamos com mais pessoal do que necessitávamos porque os pacientes eram liberados e todo o pessoal vinha trabalhar. Hoje, aquele pavilhão do hospital está fechado."
Foi neste momento que eu tive que fazer a pergunta de um milhão de dólares:
"O que foi que o senhor fez a si mesmo para ocasionar tal mudança nessas pessoas?"
"Eu simplesmente estava curando aquela parte em mim que os havia criado", disse ele.
Não entendi. O Dr. Len explicou-me, então, que entendia que a total responsabilidade por nossa vida implica em tudo o que está na nossa vida, pelo simples fato de estar em nossa vida e ser, por esta razão, de nossa responsabilidade. Num sentido literal, o mundo todo é criação nossa.
Uau.! Mas isso é duro de engolir. Ser responsável pelo que digo e faço é uma coisa, mas ser responsável pelo que diz e faz outra pessoa que está na minha vida é muito diferente.

Apesar disso, a verdade é essa: se você assume completa responsabilidade por sua vida, então tudo o que você olha, escuta, saboreia, toca ou experimenta de qualquer forma é sua responsabilidade, simplesmente porque está em sua vida. Isto significa que a atividade terrorista, o presidente, a economia ou qualquer coisa que você experimenta e não gosta, está ali para que você a cure. Tudo isto não existe, em realidade, exceto como projeções que saem do seu interior. O problema não está "neles", está em você, e, para mudá-lo, você é quem tem que mudar.
Sei que isto pode parecer difícil de entender, mais ainda de aceitar ou realmente vivenciar. Colocar a culpa em outra pessoa é muito mais fácil que assumir total responsabilidade mas, enquanto conversava com o Dr. Len, comecei a compreender essa cura dele e que o ho'oponopono significa amar-se a si mesmo. Se você deseja melhorar a sua vida, você deve curar a sua vida. Se você deseja curar alguém, mesmo um criminoso mentalmente doente, você o faz curando a si mesmo.
Perguntei ao Dr. Len como ele curava a si mesmo. O que era, exatamente, que ele fazia, quando olhava os prontuários daqueles pacientes.
"Eu, simplesmente, permanecia dizendo 'Eu sinto muito' e 'Te amo', uma vez após outra" explicou-me.
"Só isso?"
"Só isso! Acontece que amar-se a si mesmo é a melhor forma de melhorar a si mesmo e à medida que você melhora a si mesmo, melhora o seu mundo".
Permita-me, agora, dar um rápido exemplo de como isto funciona.
Um dia, alguém me enviou um e-mail que me desequilibrou.

No passado, eu teria reagido trabalhando meus aspectos emocionais tórridos ou tentado argumentar com a pessoa que me enviara aquela mensagem detestável.
Mas, desta vez, eu decidi testar o método do Dr. Len.
Comecei a pronunciar, em silêncio: "Sinto muito" e "Te amo". Não dizia isto para alguém, em particular. Ficava, simplesmente, invocando o "espírito do amor", para que ele curasse dentro de mim o que estava criando aquela circunstância externa. Depois de uma hora, recebi um e-mail da mesma pessoa, desculpando-se pela mensagem que me enviara. Eu não realizei qualquer ação externa para receber tal desculpa. Eu nem sequer respondi àquela mensagem. Não obstante, somente repetindo "sinto muito" e "te amo", de alguma maneira curei dentro de mim aquilo que criara naquela pessoa.
Posteriormente, participei de uma oficina sobre o ho'oponopono, ministrada pelo Dr. Len.

Ele tem, agora, 70 anos de idade e é considerado um "xamã avô" e é um pouco solitário. Elogiou meu livro "O Fator Atrativo". Disse-me que, à medida que eu melhorar a mim mesmo, a vibração do meu livro aumentará e todos sentirão o mesmo quando o lerem. Resumindo, na medida em que eu melhore, meus leitores também melhorarão.
"E o que acontecerá com os livros que eu já vendi e que saíram de mim?" perguntei.
"Eles não saíram", explicou ele, tocando minha mente, mais uma vez, com sua sabedoria mística . "Eles ainda estão dentro de você. Porque nada está do lado de fora".
Seria necessário um livro inteiro para explicar essa técnica avançada com a profundidade que ela merece. Mas, aprendi que basta, apenas, o "querer" em nossa vida para curar e que existe somente um lugar onde procurar a cura: dentro de si. "Para curar, basta amor".

Esta é uma daquelas mensagens que, literalmente, mudam nossa vida.
Já ouvimos muitas vezes que criamos nossa realidade, que o mundo é um reflexo de quem somos, que somos todos um, que tudo começa e termina em nós, etc, etc. Mas uma coisa é ouvir isso, outra é verificar se, de fato, compreendemos a essência dessas afirmações. Não obstante, em minha humilde opinião, a simplicidade dessa mensagem ela "costuma fazer cair a ficha". E isso é muito simples!

Para cada um - e todos: "SINTO MUITO!" "TE AMO!" "



* Rubia A. Dantés - é Designer, cria mandalas e ilustrações em conexão. Trabalhos individuais e em grupo, com o Sagrado Feminino, o Dom e o Perdão.
http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/c.asp?id=12439#prettyPhoto

A mente ... - (Bhagavad Gita)



‎"A mente funciona como um inimigo para aqueles que não a controlam."
(Bhagavad Gita)

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

"Passar do efêmero ao Eterno, ..." - (Ma Ananda Moyi)


Está Tudo Certo: Somos o Que Necessitamos - (Marcelo Hindi)


"Ser feliz e viver em paz, experienciando amor, saúde e prosperidade é o desejo de toda a gente e força motivadora de toda ação cotidiana, até mesmo quando as ações são dirigidas para a tentativa de evitar sofrimento. Isso pode parecer óbvio -não há nenhuma novidade até aqui- e se você pensa desse modo, saiba que está absolutamente correto. Entretanto, nem sempre o que é óbvio é vivenciado e experienciado de modo consciente. Se sentir prazer e evitar sofrimento são nossas motivações de vida, precisamos rever as importâncias atribuídas a situações, fatos e escolhas, para restabelecer nossa harmonia integral, afinal, ansiedade, stress, sofrimento por apego, ambição descomedida, dentre outras experiências, não correspondem exatamente àquilo que acreditamos ser harmonia integral, não é mesmo?

Quando foi que nos distraímos e deixamos de prestar atenção às nossas necessidades elementares? Por que deixamos de experienciar prazer em viver e complicamos tanto -ou nos deixamos complicar- nosso momento presente? Perguntas há inúmeras, contudo, esse texto tem por destaque a seguinte: "O que pode ser feito, agora, para que experienciemos mais satisfação e qualidade de vida?".
Em algum momento de nossas vidas nós nos sentimos leves, tranquilos, satisfeitos. Agora sentimos tensão, preocupações, anseios, apegos, desejos e tudo isso somado ao excesso de importância que atribuímos ao que é passageiro, resulta em uma relação pouco saudável e em desarmonia com a vida. Muitos podem afirmar que sofrer um pouquinho é normal, trivial, banal e faz parte da experiência de "estar vivo". É essencial o resgate de um tantinho de inocência para se perguntar: "é lugar comum sofrer um pouco? Por que tem de ser assim? Por que não pode ser diferente?". E ao fazer esses questionamentos é possível chegar à conclusão audaciosa de que não tem que ser banal sofrer; que é possível desaprender a sofrer e restabelecer a harmonia integral. Se sofrer em doses é banal, trivial, lugar comum, a partir de agora eu os convido a desconstruir o que é entendido por banal, pois nenhum de nós é banal -somos seres únicos, divinos, potencialmente ilimitados- e chegou o momento de rompermos relações, em definitivo, com conformismo e o adiamento do prazer de viver.

Chegar à conclusão de que viver pode ser uma experiência mágica, prazerosa, inspiradora e saudável, convoca nossa vontade consciente a ações dirigidas nesse sentido. Conhecemos muito bem nosso ponto de partida: é tudo aquilo que constitui nosso presente, como emoções, pensamentos, estado vibracional, relações sociais e etc.
O passo seguinte é definir claramente o nosso ponto de chegada que é a harmonia integral. Lançamos metas em um tempo diferente -o futuro- e começamos a fazer escolhas, reflexões, ações conscientes e bem alinhadas com o que queremos edificar. As referências adotadas para nossas reflexões e autoverificação são simples, mas é muito importante que não só acreditemos nelas; é fundamental que tais referências participem ativamente de cada experiência, ou seja, aquilo em que acreditamos precisa se alinhar àquilo que pensamos, falamos, fazemos e sentimos. Eis a relação de harmonização entre o agir finito (nos palcos da vida) e o agir infinito (no território da Consciência).

O indivíduo em sua estrutura nuclear é portador de Paz e Contentamento verdadeiros e incondicionados. Não precisamos buscar fora de nós aquilo que já é de nossa própria natureza. O que precisamos fazer é revelar em nossas ações esses tesouros da alma. Para isso, pratiquemos a pacificação dos pensamentos e emoções, para que nossas ações e palavras resultem em expressões igualmente pacificadas. O contentamento, por sua vez, é revelado por meio da conscientização de que já somos tudo o que precisamos. Tudo o que o mundo aparente oferece não satisfaz nossa estrutura nuclear, não estamos condicionados a nada. Essa é a percepção da simplicidade do viver plenamente.

Se tivermos ou agirmos no sentido de experienciar os "vasos de barro", é por excedente que a vida nos possibilitou - o exercício de um direito, mas jamais uma necessidade (chamemos de lucro). Quanto aos vasos, como tratei em um texto anterior, denominado vasos de barro, refiro-me a tudo aquilo que é transitório e impermanente - que tem começo e fim. O vaso é feito do barro da terra, e quando o vaso se quebrar, deixar de atender à função atribuída a ele, voltará à terra. Todo vaso quebra cedo ou tarde. É só uma questão de tempo. Nem a própria terra permanece. É muito útil compreender esse fato para compreender as circunstâncias, eventos, objetos, projeções e desejos experienciados.

Tudo na vida está em constante movimento e, no mundo das aparências e impressões, tem um começo e um fim. Nada que é irreal permanece: o que nasce, morre; o que começa, termina. Somente o que é Real permanece e o SER é Real, o Estar, não. O mundo aparente, sensorial, dos fenômenos, com todas as formas e graus de manifestação de energia, tem um começo e, por isso mesmo, um fim. Portanto desbanalizemos o banal, experimentemos a paz e o contentamento e reconheçamos que nossa harmonia integral é incondicionada, e, portanto, já é Presente. A definição de um ponto de chegada serve tão somente para estabelecer um caminho de ação consciente, entre agora e a meta (o caminhar da Realização). Por fim, respondendo à pergunta central "O que fazer?", afirmo com satisfação: "viva cada momento como a oportunidade de Sentir sua Divina Essência e Harmonia com o Todo". Você já É o que Necessita. Sucesso em suas experiências.

Um forte abraço
Marcelo Hindi"


* Marcelo Hindi - é Psicoterapeuta Holístico. Website: www.terapiaviverbem.com.br
Fonte: http://somostodosum.ig.com.br/clube/c.asp?id=31633

"Tudo é energia ..." - (Albert Einstein)


quinta-feira, 4 de outubro de 2012

"Comece fazendo o que é necessário, ..." - (São Francisco de Assis)


O Despertar da Primavera - (Luiz Pontes)


"A primavera anunciou-se mais cedo aqui em casa. Moramos em meio a muitas árvores, e esta é a terceira primavera que desfruto neste local, e a primeira em que realmente prestei atenção ao que estava acontecendo ao meu redor, no reino vegetal. Uma coisa realmente linda de se desfrutar! A começar da Rainha soberana do jardim, uma formosa cerejeira, estilo japonês, que começou a florir na metade de Agosto, e que me encheu os olhos com sua beleza exuberante. As folhas caíram para dar lugar a brotos que iam se formando aos poucos, uns mais desenvolvidos que outros, e outros já virando flor. Do lado oposto do jardim, um pequeno arbusto de uns dois metros de altura, que chamamos carinhosamente de buquê de noiva, passava exatamente pelo mesmo processo. Que espetáculo aqueles minúsculos buquês se formando ao lado de outros maiores, obra da Inteligência Divina que a tudo permeia.

Após uma meditação, deparei-me com a seguinte pergunta: Como pude não notar tanta beleza antes? Era incrível, eu estava literalmente vendo algo que antes eu não havia notado, mas sempre esteve ali. O que eu vejo depende de mim, do que eu escolho ver - esta é uma chave muito importante!

Como pode apenas um pensamento mudar totalmente o rumo das coisas! Agora vejo o meu jardim, todo o meu jardim, como uma extensão de mim mesmo. A beleza que vejo fora é a mesma beleza que vejo dentro de mim. As flores que exalam seu perfume único e enfeitam o caminho com suas cores diversas são o reflexo da Primavera dentro de mim. Vejo como Deus vê.
Cada uma do seu jeito, cada flor é única. A beleza é de todas, porque vem de Deus. É uma beleza que só pode ser apreciada no momento presente, e não pode ser compreendida com a mente do dia a dia, aquela que usamos para planejar, fazer contas, julgamentos e críticas. Quando olho para uma flor, vejo apenas uma coisa: a própria flor. Ela É. Meu compromisso é me libertar de tudo o que me impede de ver a beleza das flores.

Para apreciar a beleza do caminhar, é estar desperto e atento. Quem sou eu? Qual é a minha missão? Para onde estou indo? As distrações... nos... dis-traem... da beleza do momento presente. Perdemos o colorido e a Alma. Mas apenas por um breve instante, pois estamos atentos para ouvir aquela Voz aparentemente distante sussurrando bem baixinho: EU SOU! EU SOU a Essência da Flor. Quando Ela fala, tudo o mais cessa. EU SOU!

Olho para dentro de mim e vejo a Primavera chegando. Especialmente esta do ano de 2012, trazendo consigo toda potencialidade da criação da Nova Terra. Sementes de projetos que estão acontecendo na prática, relacionamentos significativos, um amor profundo pela vida e pelos seres que compartilham este momento comigo, especialmente os mais próximos. E acima de tudo uma profunda reverência pelo Poder da Fonte Divina que está em toda partícula existente no Universo.

Minha vida expressa a intenção em ver somente o brilho do Cristo Interior em cada ser vivente, a Beleza do Amado em expressão contínua sobre tudo e todos. Além do bem e do mal está a beleza da flor, que simplesmente É. Devoto minha vida a SER a flor, para que a Primavera desperte dentro de mim pensamentos conectados, sentimentos elevados e a verdadeira percepção, aquela que me faz agir no mundo, sem ser do mundo.

Reconheço a expressão da minha personalidade na vida, e integro todas as suas expressões, positivas e negativas, numa só energia que é transmutada em Puro Amor, para que tudo o que eu pense, sinta, fale e faça esteja de acordo com a Vontade Divina. Integridade é uma palavra muito importante, que todos devemos enfatizar em nossas vidas nestes tempos caóticos. O que eu penso está alinhado com o que eu sinto, falo e faço? E tudo isso está alinhado a Vontade de Deus? Integridade é Poder!
Esta Primavera pede que floresçamos de novas maneiras. Mais conscientes e despertos. Mais atentos para os jogos da personalidade que perpetuam crenças e opiniões. Mais Intuitivos, para a plena expressão do Princípio Masculino e Feminino em nossas vidas. Mais íntegros em nossas ações, no caminho da realização da nossa missão de Alma. Mais determinados para investigar os pensamentos tóxicos que nos distraem do caminho e criam sofrimento. Mais amorosos, para abrir nosso coração e curar as feridas internas com o bálsamo do perdão. Mais conectados, para sentir as sutis vibrações que vêm do alto. E mais compassivos, para concretizarmos nossa Unidade no Amor incondicional.

Chega de mais do mesmo! Tudo está dentro. Deus está dentro, e toda semente que ainda precisa germinar está dentro de nós. Nós já regamos e cuidamos do solo, e agora chegou a hora de germinar. Deus é criativo, alegre e próspero. A natureza é vida, e vida é Amor. Que possamos nascer enquanto humanidade para este Amor sem limites, vivendo de fato nossa vida de acordo com a Verdade Espiritual do Deus Imanente, brilhando sobre toda a sombra que ainda teima em querer se aproveitar dos descuidos do caminhar.

Fé na semente, no potencial que existe dentro de cada um de nós. Fé nesta chama vibrante que nos dá a motivação de realizar, para expressar mais e mais o nosso Verdadeiro Ser através de ações que tragam somente o Bem Maior de Todos. Quem acredita nesta "semente de mostarda" pode viver "como se" ela já estivesse acontecendo aqui e agora. O potencial que está dentro da semente está pronto para florescer e já se faz flor. Temos tudo o que precisamos, abundantemente, aqui e agora.

A beleza da flor está dentro da semente!
Chegou a hora.
Está amanhecendo.
Luiz Pontes
Set/12"



* Luiz Pontes - é terapeuta do som, coach, palestrante e autor.
http://somostodosum.ig.com.br/clube/c.asp?id=32103