quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

"As almas reconhecem-se, ..." - (Helena Pereira)


Consciência Tântrica - (Sri Prem Baba)


"Primeiro, há que se sair do isolamento. Em seguida, mover-se para uma relação e começar um processo de tirar as máscaras, ou seja, as capas que encobrem o coração, para remover as barreiras que te impedem de se unir ao outro. Isso inclui identificar o não para a revelação. Isso inclui identificar o ódio do sexo oposto, inclui olhar os pactos de vingança; olhar para o passado que ainda não foi integrado e que você projeta no outro. Assim, você vai se movendo em direção ao outro, até que seja possível entrar numa esfera mais amorosa; na consciência tântrica que naturalmente vai apontando o caminho do brahmacharya."

Deus - (Segundo Spinoza)


“Pára de ficar rezando e batendo o peito! O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida.

Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.
Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas ser a minha casa.

Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias. Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.

Pára de me culpar da tua vida miserável: Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau.

O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.

Pára de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho... Não me encontrarás em nenhum livro! Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?

Pára de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor.

Pára de me pedir perdão. Não há nada a perdoar. Se Eu te fiz... Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti? Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez? Crês que eu poderia criar um luga r para queimar a todos meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que tipo de Deus pode fazer isso?

Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti.

Respeita teu próximo e não lhe faças o que não queiras para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia.

Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso. Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.

Eu te fiz absolutamente livre. Não há prêmios nem castigos. Não há pecados nem virtudes. Ninguém leva um placar. Ninguém leva um registro.

Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno. Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho. Vive como se não o houvesse.

Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei. E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não. Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste... Do que mais gostaste? O que aprendeste?

Pára de crer em mim - crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti.

Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar.

Pára de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja? Me aborrece que me louvem. Me cansa que agradeçam.

Tu te sentes grato? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo. Te sentes olhado, surpreendido?... Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar.

Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim. A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas. Para que precisas de mais milagres? Para que tantas explicações? Não me procures fora! Não me acharás. Procura-me dentro... aí é que estou, batendo em ti"

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

"Toda decisão que você toma ..." - (Neale Donald Walsch)


"Toda decisão que você toma - toda decisão - não é uma decisão sobre o que você faz. É uma decisão sobre Quem Você É. Quando você vê isso, quando você entende isso, tudo muda. Você começa a ver a vida de um modo novo. Todos eventos, ocorrências, e situações se transformam em oportunidades para fazer o que você veio fazer aqui."

(Neale Donald Walsch)

"Quando você está inspirado por algum grande propósito, ..." - (Patanjali)


"Quando você está inspirado por algum grande propósito, algum projeto extraordinário, todos os seus pensamentos fazem com que ultrapasse suas limitações: Sua mente transcende as limitações, sua consciência se expande em todas as direções, e você se encontra em um mundo novo, grande e maravilhoso. Forças adormecidas, faculdades e talentos tornam-se vivos, você descobrirá ser uma pessoa maior, longe do que você jamais sonhou que poderia ser."

(Patanjali)

"No princípio ..." - (Hino da Criação, do Rig Veda)




"No princípio
Não havia existência ou inexistência
O mundo era energia não revelada...

ELE vivia, sem viver, por SEU próprio poder
E nada mais havia..."

(Hino da Criação, do Rig Veda)

Uma outra maneira de ver os chakras - (Ricardo Freitas e Tales Nunes)


"Sempre ouvimos que os chakras deveriam ser visualizados ou sentidos. Como não conseguimos vê-los ou senti-los em toda a complexidade que é apresentada pelo Tantra, propomos interpretá-los de uma maneira diferente. Sugerimos, neste artigo, apenas pensarmos sobre os chakras. Acreditamos que o caminho à iluminação proposto pela prática tântrica pode ser pensada como uma simbologia da nossa própria trajetória de vida e da nossa busca pessoal pela espiritualidade, ou melhor, pela liberação.

De acordo com Vedanta, independente de raça, nacionalidade ou crença, são quatro as buscas dos seres humanos: artha (segurança), kama (prazer), dharma (o correto agir) e moksha (a liberdade).


Moladhara e a segurança
A primeira preocupação do ser humano é com a sua segurança. Todas as nossas ações básicas têm como objetivo nos trazer a preservação da vida. O primeiro chakra, moladhara, é dito ser responsável pelo instinto de sobrevivência, pelo apego às coisas materiais e pelo medo. Ou seja, podemos entender o primeiro chakra e os “bloqueios” relacionados a ele como esse nosso anseio natural por segurança.
Dentro do caminho em busca da liberdade é necessário trabalhar as emoções e sentimentos relacionados e esse primeiro chakra.

É dito que as tendências do moladhara chakra em desequilíbrio seriam a inércia, posse, medo, apego, rigidez, cobiça, avidez, bloqueio na comunicação, tendência de ser manipulado, credulidade, dificuldade em dar e receber, possessividade. Algumas destas tendências são citadas por Patanjali como obstáculos para permanecermos na nossa verdadeira natureza. Da mesma forma, se observarmos as qualidades ditas sobre esse mesmo chakra quando ele esta equilibrado: sobrevivência, solidez, autoconfiança, materialidade, boa comunicação, relação sadia com a matéria, capacidade de transcender limites, discernimento, estas são citadas em vários textos, inclusive no Yoga sutra, como as qualidades sugeridas para o aspirante a moksha.


Svadistana, Manipura e o prazer
O segundo chakra é chamado de “o fundamento de si próprio”. Este chakra está relacionado à sexualidade, o pai de todos os nossos desejos. Depois de termos resolvido a nossa busca por segurança, dizem os Vedas, é natural que busquemos prazer. Prazer por meio da sexualidade e da sensualidade. O “fundamento de si próprio”, nome dado a este chakra, indica-nos a consciência que o indivíduo tem de si mesmo, de sua individualidade. Antes do ego ser questionado, é necessário ser sedimentado. O indivíduo ainda encontra-se centrado no eu. Eu enquanto individualidade e personalidade. Mas enquanto grudado ao ego, o indivíduo buscará apenas a saciedade de seus desejos pessoais.

Na busca por saciar seus desejos, o indivíduo sai para o mundo. O desejo é o motor da ação e para a transformação do mundo à sua maneira. Tudo e todos são vistos como um meio para que o indivíduo obtenha segurança e prazer. Nasce dentro de si o desejo de controlar o mundo, pois as ações do indivíduo estão centradas no seu próprio umbigo – local onde está localizado o manipura chakra. Por muito tempo a pessoa pode ficar presa no seu impulso de controle do mundo para obter a sua segurança e o seu prazer. Quando algo sai diferente do que planejado, a pessoa enraivece-se, pois não consegue se conformar com a idéia de não ter controle sobre o mundo externo. Para conseguir os seus dois objetivos, a pessoa muitas vezes esquece os valores e a ética, porque o que está em primeiro lugar é si mesmo, em lugar dos outros. Muitos podem permanecer nessa incessante busca por toda a vida. Então pode-se dizer que a pessoa ficou presa no manipura chakra, ou apenas que ela estacionou no seu desejo por segurança e prazer.

Se observarmos as latências mentais referentes a estes chakras em desequilíbrio: agressividade, violência, excessos, vergonha, autodestruição, obsessão sexual, domínio, solidão, egoísmo, vontade domínio sobre os demais, distorção da sexualidade, ambição, arrogância, raiva vemos que essas emoções são obstáculos para a libertação. E ao mesmo tempo valor, coragem, reações positivas ante os obstáculos, criatividade, vitalidade, domínio sobre as paixões, bem-estar, poder, consciência do eu, impulso pelo autoconhecimento, confiança, discernimento, são valores e qualidades muito parecidas com as citadas por Krishna na Gita e por Patanjali no Yoga sutra como imprescindíveis para o autoconhecimento.


Anahata e o Dharma
Num determinado ponto da sua vida, ao refletir sobre as suas ações e as suas conseqüências, a pessoa pode reconhecer a importância dos valores na sua vida. As ações guiadas pelos valores universais trazem para si uma tranqüilidade mental e uma paz no coração (anahata chakra) que vale mais do que qualquer outro ganho. A pessoa pode seguir na busca por segurança e por prazer, mas ao reconhecer a importância dos valores, estes guiarão suas ações nesta busca. É como se o centro de atenção da pessoa mudasse de si mesmo para o todo, pois reconhece que o que ele deseja que os outros façam para ele é exatamente o que ele deve fazer pelos outros. O praticante continua pensando em si, pois ele reconhece o valor que existe para ele em seguir o que é correto, mas as suas ações são inofensivas ou benéficas aos outros.

Se alguém então diz que o anahata chakra esta desequilibrado é porque a pessoa sente passividade, falta de motivação ou confiança, angústia, desespero, aversão, ódio, agressividade e essas qualidades não são muito diferentes dos obstáculos citados por Patanjali no sutra 30: inércia, dúvida, negligência, preguiça, volubilidade, equivocação, inconstância e instabilidade.

Sabemos que o amor, solidariedade, manter uma relação com Ishvara (o Todo), alegria, autoridade, compreensão, generosidade, nobreza, compaixão, o que chamamos de um anahata equilibrado, são valores que nos ajudam a ter uma mente satisfeita com a pessoa que eu sou.


Vishuddha e o alinhamento dos Chakras
Dentro da interpretação que propomos, o alinhamento dos chakras pode ser pensado como o próprio alinhamento pessoal. Como a busca pelo agir correto. Arjuna, o protetor do dharma na Bhagavad Gita, carrega em seu nome o nobre significado da palavra, “alinhado”, “reto”. Estar alinhado significa sermos Arjunas, estarmos comprometidos com o agir correto, com a retidão. Quando comprometidos com os valores universais, não apenas as nossas ações, mas as nossas palavras são um reflexo destes valores.

Alcançar essa retidão faz parte de um intenso processo de purificação (Vishuddha chakra significa “grande purificador”), de deixar para trás o que não precisamos. Viveka (questionamento) e Vairagya (desapego) são essenciais nesse processo. Cada vez mais atenção é necessária em direção ao nosso dia a dia. A prática principal não é feita de olhos fechados ou com a atenção fixa em alguma parte do corpo, mas com a atenção plena nas pequenas ações diárias. Para isso, refletir, questionar, para se lembrar o que é mais importante na vida e desapegar para simplificar, para não se perder no caminho, são qualidades fundamentais.

Questionamento e desapego são precisos para que possamos trilhar o caminho do autoconhecimento. É o questionamento que nos torna capazes de nos refletirmos, de refletirmos sobre nós mesmos. Apenas quando estamos alinhados é que podemos ter a paz e a tranqüilidade necessárias para escutar os ensinamentos dos mestres e a partir disso refletir e posteriormente colocar em prática o que foi escutado e apreciado.

Quando o Vishudha está em desequilíbrio é dito que sentimos conflito de auto-imagem, dificuldade em expressar o que pensamos e sentimos, ganância, insensatez, negatividade. Se observarmos com cuidado veremos que esses são vrttis de pessoas que são divididas, que mentem, que negligenciam a verdade e que agem em desacordo com os valores universais. Acreditamos que isso seja uma simbologia de que precisamos trabalhar a retidão. Assim adquirimos o que é dito como as características positivas do chakra: capacidade de reflexão, criatividade, receptividade, expressão, intuição, magnetismo, compreensão do subconsciente e assim usamos a nossa energia para estar atento e nos mantermos no caminho ao autoconhecimento

Apenas uma mente tranqüila é capaz de olhar para si mesmo com compaixão para reconhecer o apego, o medo, o desejo, a raiva, e aceitar que tudo isso faz parte do seu ser, mas a pessoa não é apenas esses aspectos. Em si jaz um ser liberto, pleno e completo. Somos seres que temos, como o Ganesha nas suas representações, um pé tocando o chão, outro fora dele. Um em contato com o mundo da matéria e o que há de mais denso no universo: apego, medo da morte, desejo de controlar o mundo exterior; o segundo que simboliza a nossa conexão com o divino, com a consciência sutil que é a causa de todo o universo e que é refletida no que temos de mais sutil em nós, a nossa mente. A nossa mente, por meio da consciência, ilumina o mundo ao nosso redor e elimina a nossa ignorância sobre ele, sobre nós e sobre a existência.


Kundalini Podemos então dizer que despertar a Kundalini é usar nossa atentividade e energia para desidentificarmos das nossas latências mentais.

Essa kundalini deve subir, então, da base, da nossa necessidade por segurança. Passa pelo segundo e terceiro chakras, que estão relacionados à busca pelo prazer. Chega ao quarto chakra que está relacionado ao agir correto, ao Dharma e traz a purificação, que está relacionada ao quinto chakra. E finalmente a Kundalini alcança os dois últimos, que representam nossa busca final por moksha.

Dentro dessa visão essa energia não seria algo físico que desperta liberta-me das latências mentais negativas como num passe de mágica e instantaneamente me faz adquirir latências mentais positivas. Essa energia seria o esforço, o discernimento, a atentividade e a compreensão de que essas latências mentais existem, mas eu não sou elas. Eu permaneço na verdadeira natureza do sujeito.

Kundalini é a energia necessária, no meu dia a dia, na hora de me relacionar com o mundo e de fazer as ações, para que essas latências mentais “negativas” não tirem a minha consciência do ser pleno que somos e para que possamos nos manter em Yoga e agirmos, então, sem nos identificarmos como os vrttis. Como nos ensina Patajnali: “Yoga Chitta Vrtti Nirodha”.


Ajna, Sahashara e a liberdade
É a mente que ao mesmo tempo tem o poder de nos aprisionar e de nos libertar. Por isso que o sexto chakra é chamado de ajna, “chakra do comando”. Quando em contato com o conhecimento de si mesmo e quando desenvolvida uma compreensão sobre si mesmo, sobre o funcionamento da mente, o indivíduo tem a capacidade de ser livre, pois reconhece que não é apenas a personalidade, as latências mentais que são relacionadas aos chakras, mas elas fazem parte de si. O conhecimento de si mesmo é o reconhecimento de que não somos apenas a mente que julga e que anseia por controle, mas somos a consciência que a ilumina e que está acima dela, como o sahashara chakra, que está acima de todos os outros chakras.

Quando reconhecemos isso, nos estabelecemos na nossa própria natureza, que é divida. O ser está liberto. Ele continua conectado com a terra, aterrado e sentindo tudo o que todos os seres humanos sentem, todas as latências dos chakras: medo, ansiedade, raiva. No entanto, ao mesmo tempo, ele sempre reconhece-se como o todo, como pura Consciência que ilumina todos os aspectos de si mesmo, que é a causa, que está na base e acima de todas as suas tendências como ser humano. Mas ele está liberto, pois não se identifica com elas, apenas as reconhece. E ri. O sábio ri de si mesmo, dos outros e das armadilhas que a mente constrói para nos aprisionar. Mesmo que essa armadilha seja tentar controlas os chakras.

O sábio, em realidade, está consciente dos chakras e das suas influências sobre si mesmo, pois os chakras são os nossos condicionamentos, as nossas emoções, o nosso corpo. Ele, porém, reconhece-se como o ser que observa e que está fora da influência dos chakras. O sábio está livre das suas influências, positivas ou negativas."


Fonte: Dharmabindu - http://dharmabindu.com/?l=pt&p=ensinamento&id=245

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Estou Firmado - (Chandra Lacombe)

A canção que o Pai das Estrelas ensinou - (Wagner Borges)


"O Pai das Estrelas nos ensinou a canção dos elementos:
A canção das águas, a canção dos ventos, a canção do fogo e a canção da terra.
Ele nos falou do respeito por todos os seres da natureza, pois o Seu Amor está em todas as coisas e seres.
Na canção das águas correntes, Ele nos ensinou a passagem do tempo e o valor das experiências que passam e a fluência das emoções.
Na canção do vento, Ele nos falou de renovação e do movimento do Invisível que viaja e canta.
Na canção do fogo, Ele nos falou do calor do coração e na incineração das dores do passado.
Na canção da terra, Ele nos ensinou sobre a firmeza necessária para a realização dos objetivos firmados.
O Pai das estrelas ensinou a canção dos elementos da natureza para o povo antigo. Eles aprenderam as lições das canções e cantaram com o coração.
Os ecos de suas palavras inspiradas ainda ecoam pelos sítios extrafísicos na presença dos espíritos guardiões.
E eles cantam e repassam aos homens de hoje a presença espiritual e os objetivos firmados na Espiritualidade.
Para o Eterno, todos nós, encarnados e desencarnados, somos crianças.
Por isso, Ele ensinou as canções.
Que os homens cantem, com todo coração, a alegria das estrelas nos elementos da criação, e respeitem a Mãe Terra.

P.S.:
Enquanto eu digitava esses escritos, fui inspirado espiritualmente, por um xamã extrafísico, a escrever o seguinte:
"Que o som do chocalho possa dissolver as dores do passado e aliviar o coração.
Que o som dos tambores relembre aos homens da pulsação do coração da Mãe Terra, nossa amiga e protetora.
Que o som da flauta siga com o vento e eleve os espíritos para a morada celestial.
Que o som das águas correntes relembre aos homens de que tudo passa e que o destino de todos é a Casa do Pai Celestial, no mar das estrelas, onde desembocam todos os espíritos após a corrida da vida.
Que o calor do amor aqueça os corações e inspire às canções que libertam os espíritos das noites trevosas de seus medos.
Que o Amor do Pai das estrelas brilhe em nossas canções de cura e apaziguamento emocional"."




* Wagner Borges - é pesquisador, conferencista e instrutor de cursos de Projeciologia.
Autor dos livros Viagem Espiritual 1, 2 e 3 entre outros.


"Andar com fé ..." - (Gilberto Gil)


Seja grato pela oportunidade de viver, ..." - (Anastasia Harlamova)


"Seja grato pela oportunidade de viver, por poder corrigir os erros do passado e poder evoluir a sua alma para um futuro melhor. Agradeça pelos obstáculos que Universo te traz para você poder melhorar como ser espiritual que é. Pequenas ou grandes dificuldades do dia são apenas lições para nossa evolução. Agradecer, agradecer e agradecer a cada minuto por você poder aprender, pela sua família que está ao seu lado, pela saúde que você tem. Verá como sua vida irá se tornar uma alegria só e compreenderá que na vida existe uma Lei de ação e reação, tudo que você planta agora ( mesmo só nos pensamentos) , você colherá em um futuro próximo, portanto vamos pensar e agir de uma forma melhor, sempre ajudando o próximo se possível e jamais tendo pensamentos ruins sobre alguém. Nunca é tarde para dizer à alguém ''EU TE AMO"  Que todos tirem uma boa lição do que aconteceu estes dias. "
(Anastasia Harlamova)

domingo, 27 de janeiro de 2013

"O Cosmos também está em nós ..." - (Carl Sagan)


Você e o universo - (Flávio Bastos)


"A coisa mais perfeita que podemos experimentar é o misterioso. É a fonte de toda a arte e de toda a ciência verdadeira". (Albert Einstein)

"Energia psíquica, pensamento, aura, bionergia, magnetismo, entre outras, são denominações que usamos para definir aquilo que nos liga à vida, ou seja, o elo de ligação entre o ego representado pela nossa fisicalidade e a energia imaterial que geramos e emanamos ao universo.

Seja a denominação que for, a energia que liberamos e pela qual somos identificados no universo, é uma síntese de nosso pensamento-escolha, isto é, o resultado energético de nossas decisões de vida conforme orientação do livre-arbítrio.

Neste âmbito de invisibilidade aos olhos humanos, os sentimentos ou pensamentos que emitimos em forma de energia, repercutem e retornam a nós conforme as intenções no ato da emissão.

Voluntária ou involuntariamente, liberamos ao universo energias densas ou sutis. Pensamentos impregnados de energias deletérias ou curativas que identificam o nosso nível consciencial através de nossa frequência vibratória ou aura, o campo energético que envolve o corpo físico de cada ser dotado de inteligência.

Na dinâmica universal, somos apenas pontos luminosos de referência e padrões energéticos que correspondem à mecânica da vida individualizada, mas que soma no sentido coletivo e se identifica conforme a intencionalidade do pensamento.

Portanto, tudo que emitimos em forma de pensamento-escolha retorna ao seu ponto de origem, sejam pensamentos de ódio e vingança ou de amor e gratidão, entre outros.

Esta síntese energética que nos identifica diante do universo e implica na qualidade de vida do indivíduo, dos grupos familiar, social e profissional, aos quais ele faz parte, e também no enorme agrupamento humano chamado "humanidade", que é a síntese dos pensamentos-escolhas emitidos por todos os seres inteligentes do planeta Terra.

No entanto, o sentido individualista pelo qual percebemos a vida através da ótica materialista, impregnado de condicionamentos da cultura ocidental, cria uma barreira perceptiva que impede uma melhor compreensão deste contexto no qual transitam nossos pensamentos, sentimentos, emoções e intensões do dia a dia de nossas vidas. Não "visualizamos" o fato de sermos indivíduos inseridos numa contextualidade e sincronicidade que nos leva à unicidade, ou melhor, à Fonte de energia universal.

O pensamento pode representar a flecha lançada ou o raio de luz que retornam ao seu ponto de partida. O pensamento-escolha pertence ao âmbito de responsabilidade individual e coletiva do ser humano, porque o nível de energia que emitimos é o que plasmamos para a nossa realidade individual, sintonizada com a energia planetária, que como afirmamos anteriormente, é a síntese da emissão coletiva de pensamentos.

Nesta direção, despertar para a autorresponsabilidade e responsabilidade social em relação à melhoria da qualidade de vida de todos, passa pelo processo de conscientização de que devemos, aos poucos, depurar o nosso pensamento através de emissões energéticas elevadas, como a gratidão e o perdão, entre tantas opções que temos pela prática meditativa ou da prece espontânea direcionada à Fonte de amor, verdade, justiça e sabedoria do universo. Ou simplesmente, por intermédio da prática da caridade ou do pensamento elevado a Jesus Cristo, nosso exemplo maior e iluminado caminho.

Quando Mahatma Gandhi disse: "Comece em você a transformação que deseja ver no mundo", ele referiu-se ao padrão energético da humanidade que precisa ser alterado através de iniciativas individuais e não por intermédio de revoluções sangrentas que ajudam a manter o modelo que nos acompanha há milênios.

Neste sentido, do individual chegamos ao coletivo, pois cada iniciativa, independentemente de sua intenção, tem um retorno proporcional superior ao que matematicamente imaginamos. São as leis da vida que ainda desconhecemos, inseridas nas leis universais impregnadas de energia que tramitam no tempo-espaço entre a ordem e o caos, ou entre o equilíbrio e o desequilíbrio.

Nesta lógica, você é o universo e o universo é você, que existe de uma forma interdependente com os semelhantes e demais seres vivos da natureza. Esta é a lógica da responsabilidade universal que expande a nossa consciência através do princípio emissor: o pensamento humano elevado. Momento cósmico em que a Nova Era nos convida a sermos os agentes de mudança do nosso próprio modelo energético."



* Flávio Bastos - é criador intuitivo da Psicoterapia Interdimensional (PI) e psicanalista clínico. Outros cursos: Terapia Regressiva Evolutiva, Psicoterapia Reencarnacionista, Terapia Floral, Psicoterapia Holística, Parapsicologia, Capacitação em Dependência Química, Hipnose e Auto-hipnose e Dimensão Espiritual na Psicologia e Psicoterapia.

A Lei da Atração - (FB)


A Missão de cada um - (Bruno J. Gimenes)


"Você não conseguirá se realizar se viver a maior parte do seu tempo fazendo o que não gosta. Você não será feliz se fizer unicamente o que é obrigado a fazer. Você jamais estará em paz consigo mesmo se viver apenas para agradar os outros.

Alegria e amor só brotarão no seu coração se você passar a maior parte do seu tempo animado pelo efeito do sentimento que tem em fazer o que gosta e viver de maneira agradável.

Todos sabemos que durante a nossa vida, e na rotina do dia a dia, não temos como fazer apenas o que nos agrada. Quase sempre é necessário fazermos diversas tarefas por obrigação, necessidade e até contrariados. Todavia, a maior parte do seu tempo, deve ser usada para se viver em comunhão com o que lhe anima e lhe motiva para a vida.

Tome uma criança como exemplo. Quando ela está se divertindo em meio às suas fantasias, às suas brincadeiras e seu brinquedos, o sentimento que ela nutre é de pura plenitude, de conexão com a Fonte Maior e de alegria. Para ela, no momento de sua brincadeira, tudo está fluindo perfeitamente.

Você pode estar dizendo que não tem mais como viver uma vida de criança. Obviamente que sabemos disso, entretanto, alguns aspectos podem ser observados e utilizados para melhor entendimento do assunto, porque quando a criança está em sintonia plena com a alegria da sua brincadeira, ela está sorridente e abastecida com uma grande quantidade de energia vital e entusiasmo.

Não temos como ser felizes, realizarmos grandes feitos ou termos criatividade, se não estivemos sintonizados com a alegria de fazer as tarefas diárias. É por isso que o ser humano precisa dar toda atenção e foco quando for escolher sua atividade profissional ou o conjunto de tarefas que tomem a maior parte do tempo de sua vida. É por isso também que se faz necessário saber construir relacionamentos que não a impeçam de ser a pessoa que você é com as características únicas que você tem. Infelizmente, a maioria das pessoas na tentativa de se encaixar no estilo louco de vida atual, acaba que desenvolvendo atitudes que não representem exatamente a essência do que são, na tentativa de serem melhor aceitas ou de agradar a sociedade em que vive. Quando isso acontece, a pessoa se descontrói, desconecta-se dela mesma e perde a força de entusiasmo tão necessária para viver bem a sua vida.

Você precisa ser o que nasceu para ser. Precisa encontrar o seu lugar no mundo e realizar a missão da sua alma, pois só assim você estará integrado com a sua própria essência que, por consequência, é a via de acesso da plenitude em sua vida.

Infelizmente, nesta condição atual da vida no planeta, o que mais encontramos são pessoas vivendo no "piloto-automático", movidas unicamente por questões materiais e pela necessidade de manter seus estilos de vida, os quais nem sempre são estilos em sintonia como o que realmente desejariam que fosse.

O que essas pessoas não percebem é que ao agirem assim, estão fundando as bases de sua existência no medo e na incoerência, as quais cobram o seu preço.

A maioria das pessoas não trabalha no que gosta e suas tarefas diárias não alimentam a sua alma. Uma pequena parcela apenas trabalha ou vive motivada pelo sentimento de estar plenamente em "seus lugares". Sentir-se em "seu lugar" quer dizer que você se conhece e conhece os seus potenciais. Você gosta da pessoa que é, gosta de fazer o que faz e gosta de ficar em sua própria companhia. Sentir-se em seu lugar é amar o ser que você se tornou, pois aprendeu que as suas potencialidades surgem quando você é fiel com o seu conjunto de valores. Sentir-se em "seu lugar" é viver a verdade da sua alma, agindo, vivendo e se movimentando com base no sentido que vem de dentro de você.

Não se pode viver a plenitude sem estar no "devido lugar". Não dá para ser plenamente feliz sem estar desempenhando o seu papel.

Para se realizar, você precisará focar obstinadamente em ser fiel ao que você nasceu para ser."Conhecereis a verdade e ela voz libertará". "


* Bruno J. Gimenes - Professor e palestrante, ministra cursos e palestras pelo Brasil. Sua especialidade é o desenvolvimento da consciência com bases na espiritualidade e na missão de cada um. Autor de 9 livros. Criador da Fitoenergética e co-fundador do Luz da Serra (www.luzdaserra.com.br). 
Conheça seus cursos on-line: ead.luzdaserra.com.br.

sábado, 26 de janeiro de 2013

“Nem mente, nem intelecto, nem ego, nem sentimento ..." - (Trecho de cântico do Senhor Shânkarachárya)




“Nem mente, nem intelecto, nem ego, nem sentimento;
nem céu, nem terra, nem metais eu sou.
Eu sou Ele, eu sou Ele, Espírito de Beatitude, eu sou Ele!
Nem nascimento, nem morte, nem casta eu tenho;
pai, mãe, não os tenho.
Eu sou Ele, eu sou Ele, Espírito Beatífico, eu sou Ele!
Transcendente aos vôos da fantasia, sem forma eu sou, impregnando os membros da vida total.
Escravidão não temo, sou livre, sempre livre, Eu sou Ele, eu sou Ele, Espírito Beatífico, eu sou Ele!”

"Quanto mais quieto ..." - (Rumi)


‎''Você só recebe aquilo que tem, ..." - (Osho)


‎''Você só recebe aquilo que tem, porque aquilo que você tem se torna uma força magnética, atrai algo semelhante. É como um bêbado que chega a uma cidade: logo ele vai encontrar outros bêbados. Se um jogador chegar a uma cidade, logo ele se tornará conhecido dos outros jogadores. Se um ladrão chegar a uma cidade, logo ele encontrará outros... ladrões. Se um buscador da verdade chegar à cidade, ele vai encontrar outros buscadores. Tudo que criamos em nós se torna um centro magnético, cria certo campo de energia. E nesse campo de energia as coisas começam a acontecer. Assim, se você quer as bênçãos da existência, deve criar toda a bem-aventurança de que for capaz, deve dar o máximo de si, então uma bem-aventurança multiplicada por mil será sua. Quanto mais você tiver, mais receberá. Quando esse segredo for compreendido, você ficará cada vez mais rico interiormente, sua alegria será cada vez mais profunda. E não há fim para o êxtase — você tem apenas de começar na direção certa.''

Não tenho tempo a perder para ser feliz - (Maria Isabel Carapinha)


"Por que ficar esperando que a vida comece?
Esta pergunta pode parecer intrigante ou passar despercebida, muito depende do momento de intensidade mental em que você se encontra.

Se o momento atual for de um mental super ativo, você estará correndo atrás de no mínimo oito objetivos para que você fique feliz e realizado e isto faz com que o momento presente deixe de existir e oportunidades de felicidade passem despercebidas. Se ao contrário, o seu mental estiver muito baixo, você achará que a vida não tem sentido, que todos os dias são a mesma coisa, que você não tem vontade muitas vezes nem de se levantar de manhã.

Os extremos de vibração mental são perigosos, pois indicam que você não entrega e confia a sua vida ao Todo, você não permite que as coisas cheguem até você de uma maneira natural e se assim o for, muitas vezes nem as percebe.

Na tentativa de controlar a felicidade, aprisionamo-nos em planos rígidos do tipo: só serei feliz quando conseguir aquele determinado status profissional, só serei feliz quando conseguir me casar, só serei feliz quando conseguir o melhor da vida, só serei feliz quando conseguir ser mãe, só serei feliz quando e quando e quando... Você pode ter milhões de objetivos, mas a única coisa que o deixará feliz e realizado é ter paz interna, é sentir que cada momento é único e que a cada passo dado sua vida estará em Ordem Divina e que o melhor virá até você.

Viver desta forma, leva-nos à harmonia com o Todo e por um processo de ressonância, energias semelhantes veem ao seu encontro. Quanto mais tentamos buscar a felicidade mais sofremos.

Passamos uma grande quantidade de tempo desesperados, muito frequentemente com situações que nem chegam a ocorrer.

Temos um poder de imaginação tão incrível, que se iguala à parte tecnológica dos computadores de hoje, criamos uma determinada imagem ou máscara e dela fazemos nossa imagem real. Não alcançar esta imagem, pode significar uma derrota pessoal. Nosso cérebro foi condicionado ao longo do tempo, a buscar esta máscara que criamos e juntamente com ela o que precisamos ter para sermos felizes. Não é de se admirar que o ser humano ache tão difícil ser feliz!

A busca pela felicidade se compara à busca por dinheiro, quanto mais corremos atrás, mais ele foge de nossas mãos trazendo como consequência ansiedade e depressão.

Segundo estudos mundiais um em cada dez adultos tenta o suicídio e um em cada cinco tem depressão. Considerando estes dados podemos dizer que temos 30% de possibilidade de sofrer de algum distúrbio psiquiátrico ao longo de nossa vida e por que isso ocorre? Ocorre porque não confiamos no Todo e sim definimos planos rígidos para encontrarmos a tão almejada felicidade.

Seguir este plano que definimos de maneira mental ativa ou estagnada nos levará a dois caminhos: o primeiro a escolhas erradas, pois estamos fora de nossa frequência de equilíbrio, e no mental estagnado nos levará a observar a vida passar sem vivê-la.

Observar a vida do outro e tentar comparar à sua é outra armadilha do destino, pois a grama do vizinho nem sempre é mais verde que a sua, ela pode ser artificial você já pensou nisto?

A forma mais coerente e única de encontrar o que de fato você deseja é viver em equilíbrio com a sua energia. A Mesa Radiônica equilibra todas as suas frequências e assim faz com que o que é seu por igualdade de energia venha ao seu encontro, aqui abrangemos o lado de relacionamento, da amizade, o lado profissional e até mesmo o lado espiritual, significa encontrar o seu verdadeiro grupo de convívio que então a levará rumo a tão almejada felicidade.

Vou então agora contar a história de uma moça que eu atendi há uns dois anos atrás que me procurou dizendo se sentir desesperada, pois o tempo estava passando e ela queria ser mãe. O termo ser mãe se sobrepunha a tudo, até mesmo a encontrar um marido que fosse compartilhar este momento com ela, sua ânsia era algo desesperador, sentia em suas palavras o quanto ela estava focada neste objetivo.
Inicie o tratamento pelo equilíbrio geral de suas frequências e no diagnóstico comecei a dizer como energeticamente ela se encontrava e o que deveria fazer para não mais voltar a tais vícios de comportamento, como sempre faço, pois a Mesa Radiônica não é algo que nos aprisiona e que temos que ficar a ela vinculados. Ela é um instrumento que modifica nossa energia trazendo-a aos padrões vibracionais ideais e depois disso pela vida seguimos, voltando a busca-la somente quando sentimos que nossas energias se desestruturam o que é comum para nós seres humanos em contínuo aprendizado.

Depois do diagnóstico concluído indicando frequências mentais e emocionais muito altas e uma frequência geral muito baixa disse a ela que a transformação de sua energia iria se concluir em 03 tratamentos que seriam feitos ao longo dos três meses seguintes.

Terminei o primeiro tratamento e ela permaneceu com a cara de ansiedade por resultados imediatos da mesma forma que havia chegado, eu ainda lhe disse cuidado com os vícios de comportamento que lhe mostrei a fim de que sua frequência geral não caia novamente.

Ela nunca mais voltou a meu consultório. Passados os dois anos ela apareceu novamente e me disse que muito se arrependia por não ter concluído o tratamento pois naquele meio tempo do nada havia conhecido um moço e se apaixonou perdidamente por ele, e enxergava nele o pai de seu filho.

O moço como ela descrevia parecia a laranja madura na beira da estrada eu sentada a sua frente somente aguardava que me dissesse o que de errado havia com ele. Ela então me disse que ele era drogado e que a família dele até havia proposto a ela todo o apoio para que cuidasse dele e o encaminhasse. Ela comprou a ideia e acabou por se casar com ele e ter uma linda filha. Ele, porém não largou as drogas e acabou por intensificar o uso após o nascimento da filha, pois se sentia rejeitado, e concorria com a filha pelo amor dela.
A vida então se tornara insuportável para os dois e ela acabou por se separar e veio então me procurar novamente.

Admitiu que agiu por impulso e na cegueira de suas energias desequilibradas se uniu a uma história que não conseguiu superar. Queria se tratar e agora com equilíbrio e sem a pressa que a deixara cega no passado, buscar a tão almejada felicidade.

Eu somente disse a ela como seres humanos que aqui estamos, nos encontramos em segunda época que significa o aprendizado, então os erros não merecem ênfase e sim uma mudança de rumo.

Depois do tratamento concluído a convidei a participar de um de meus Cursos de Radiestesia e Radiônica que tem o objetivo de ensinar o que devemos fazer para mantermos as frequências equilibradas pelo uso da Radiônica. Ela veio e se encantou pelo Curso além de fazer uma grande amizade com um dos alunos que ali se encontrava e depois disso vir a se casar com ela.

Neste relato, fica então o seguinte: tenha pressa em buscar o seu equilíbrio e tudo mais vos será acrescentado."



* Maria Isabel Carapinha - é colaboradora do site, radiestesista e trabalha também com Feng Shui.
Ministra cursos e faz atendimentos em residências e empresas.
Trabalha também com a mesa radiônica fazendo atendimentos em seu consultório ou à distância.
http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/c.asp?id=12678

"Você só ilumina a sua vida através do amor ..." - (Prem Baba)


"Você só ilumina a sua vida através do amor. Por isso, eu dedico tanta energia para você notar onde o amor está trancado; para você identificar os seus jogos de acusação, até você perceber que tudo é um jogo. Você não tem inimigos. O que existe são algumas pessoas perdidas no jogo de Maya. Não desperdice a sua vida pensando que isso é pessoal."
(Sri Prem Baba)

A Busca Espiritual - (Paulo Coelho)


"A busca espiritual se divide em três etapas: aceitar o que somos, melhorar o que somos, e buscar a união com Deus. A “prece da reconciliação” nos ajuda a cruzar a primeira etapa.

Vamos até um lugar que consideramos sagrado, e onde podemos ficar sozinhos. Ali, depois de agradecer a Deus, começamos a dizer em voz alta tudo que consideramos como nosso “lado negro”. A medida em que progredimos, verificamos que – ao contrário do que pensávamos – a coragem de olhar nossos defeitos nos dá uma incrível sensação de liberdade.
Passamos a nos sentir mais puros, mais fortes, mais amados.

Oramos desta maneira sempre que necessário. Mas é preciso lembrar as palavras de São Bernardo de Clairvaux: “é bom ter consciência de nossas faltas, mas isto não deve ser uma preocupação constante – ou mergulharemos de novo no desespero”."

You Don't Know How Lucky You Are - (Keaton Henson)

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

A Verdadeira Mística do Sexo - (Mani Álvarez)


"A sexualidade, sendo uma função natural que foi reprimida em nossa cultura, deu origem à neurose, às perversões e muitos outros distúrbios relacionados ao sexo. Mesmo a sua liberação, nos últimos tempos, vem acompanhada de sentimentos de culpa e outras distorções sérias, demonstrando que ainda não sabemos verdadeiramente vivenciar o sexo em nossas vidas.

Mas, depois da descoberta, por arqueólogos, de uma outra forma de lidar com o sexo -- tal como era praticada por uma certa tradição hindu -- a sexualidade passou a ser vista com outros olhos, como um processo iniciático de elevação e expansão da consciência. Alguns estudiosos do assunto descobriram que, em época anterior à invasão e dominação de uma vasta região da Europa, Oriente Médio e India pelos arianos e semitas, havia uma civilização nativa indo-européia estabelecida a partir de valores completamente diferentes daqueles que nos são habituais hoje. O sexo era um deles.

Sabemos que o Tantra é um sistema de tradições multimilenárias, anteriores à cultura védica dos povos arianos. Era voltado para o culto aos valores femininos e adoradores da Grande Mãe. Para essa cultura, cujos indícios foram desenterrados junto a grandes cidades de mais de 10 mil anos aC., como Harapa, Mohenjo-Daro, Lothal, Ankara, Chatal-Huyuk, Khajuraho, etc, o sexo era uma forma natural utilizada para fins religiosos, cujo ápice era tornar manifestada a vida. Diferentemente de nossa concepção moderna de liberação sexual, onde se confunde promiscuidade, alívio e descarga de tensões, pornografia, compulsão, estímulos eróticos e hormonais, autoafirmação, em atos que realizam uma caricatura do verdadeiro ato sexual, nossos antepassados tântricos consideravam o sexo como um caminho sagrado, uma forma de transcendência mística, que proporcionava uma iniciação ao Ser através do amor.

A tradição tântrica buscava -- e o sexo era um dos métodos -o mesmo que buscamos hoje através de psicoterapias, meditação e exercícios psicovivenciais, ou seja: a liberação do ego, a transcendência do espaço-tempo, a experiência da unidade com o Todo, a capacidade de entrega ao amor. Para eles, o sexo não deve jamais ser reprimido ou censurado, mas vivido com entrega e alegria, pois é um caminho para Deus. Por isto não deve causar estranheza o fato de existirem tantos símbolos fálicos esculpidos em pedras e rochas em sítios pré-históricos. O linga era a representação do órgão sexual masculino, quase sempre esculpido sobre um suporte em forma de cálice, que representava a Yoni, ou símbolo sexual feminino. Quando não havia um suporte, o linga era erguido diretamente do chão, pois a yoni era a própria terra.

Por isso cultuavam deidades femininas, porque viam na Shakti (natureza) a força criadora da vida. Um aspecto intrigante para a mente moderna é o lado terrível, monstruoso e assustador das deusas. Elas exigem sacrifícios e, às vezes, devoram os próprios filhos. Como a mãe natureza que doa e toma a vida, num ciclo eterno de morte-renascimento, eles representavam suas deusas com as mesmas características de fatalidade do destino humano.

Alguns Sutras Sagrados encontrados em escavações falam de um método para se desenvolver e praticar o Tantra. Osho, o místico hindu que trouxe ao ocidente os ensinamentos tântricos, ensina que deve haver contenção do orgasmo físico, pois ele implica em perda de energia e transforma o "fogo em brasa". Aos homens, ele diz que deve haver um treino para inibir a ejaculação, e às mulheres, um treino das contrações vaginais e um exercício para a entrega total e absoluta ao sentir. Osho afirma que a entrega é fundamental, não só às sensações sexuais, mas a todas as outras, como sentir a comida, degustar o sabor, sentir a pele ao contato da terra, do vento, da água, estimular a percepção de cheiros e aromas, porque tudo isso nos ensina a viver o agora, o momento presente - que é o único que existe! Passado e futuro são abstrações da mente e não têm existência. Só o presente existe. E para vivê-lo é preciso treinar os órgãos sensoriais.

Em seguida, Osho ressalta que o sexo existe para ser transformado em amor e transcendido. O objetivo último é a transcendência, inclusive do sexo. Uma demonstração disso é sua afirmação de que, depois que uma pessoa vivencia a união cósmica (através do ato sexual com um parceiro), pode-se prescindir da relação sexual, porque a pessoa é capaz de, sozinha, despertar em si mesma a transformação e a transcendência.

Por último, para fins didáticos, há a Geometria Tântrica, que exemplifica como se dá a união alquímica do amor. Enquanto prevalecer a divisão do sexo entre corpo e mente, os parceiros serão quatro -- e estarão formando um quadrado! Não há encontro, não há comunhão, porque existem, na verdade, dois corpos e duas cabeças funcionando. O ser está fragmentado e dividido e isto impossibilita a entrega.

Mas, existem encontros que se assemelham a triângulos. Por um momento repentino ocorre uma unificação interna dos dois parceiros e estes vivenciam a Unidade. Um se torna o Outro, e nesta fusão eles experimentam o Absoluto, a dissolução do ego, a dissipação do tempo e do espaço, o amor tântrico. Dura um segundo, mas é uma antecipação daquilo que os místicos de todas as tradições testemunham em seus relatos de um orgasmo cósmico, como Tereza D'Ávila e João da Cruz.

Finalmente, o encontro verdadeiramente tântrico se dá quando o casal vivencia o círculo. Não existem ângulos, não existe tempo, não existe ego. Mas isto só pode acontecer quando o homem aprende a reter a ejaculação e a mulher a se entregar verdadeiramente. Osho insiste no fato de que deve haver amor na relação, pois se não houver, ambos sentirão pressa e não haverá entrega. Um estará usando o outro e exigirá cada vez mais estímulos para que o ato se conclua com uma descarga fisiológica de prazer, e nada mais.

Temos muito a aprender com os sábios ancestrais sobre amor e sexo! A liberação sexual dos anos 80 parece piada quando compreendemos realmente o que está em jogo, no ato sexual."

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Thankful - (Josh Groban)




AGRADECIDOS
Performed by Josh Groban
Written by David Foster, Richard Page, Carole Bayer Sager

Alguns dias nos esquecemos de olhar à nossa volta
Alguns dias não podemos ver a alegria que nos envolve
Então presos em nós mesmos
Nós tiramos quando devíamos dar

Então hoje à noite nós oramos
Pelo que sabemos que podemos ser
E neste dia nós esperamos
Pelo que ainda não podemos ver
Cabe a nós ser a mudança
E, embora nós possamos ainda fazer mais,
Há muito para ser agradecidos

Olhando além de nós, há tanto sofrimento
É caminho para ser tarde para dizer,
Eu vou chorar amanhã
Cada um de nós deve achar nossa verdade
Isso é tão demorado

Então hoje à noite nós oramos
Pelo que sabemos que podemos ser
E a cada dia nós esperamos
Pelo que ainda não podemos ver
Cabe a nós ser a mudança
E, embora nós possamos ainda fazer mais,
Há muito para ser agradecidos

Mesmo com nossas diferenças,
Há um lugar onde, todos conectados,
Cada um de nós encontra a luz de cada um dos outros

Então hoje à noite nós oramos
Pelo que sabemos que podemos ser
E neste dia nós esperamos
Pelo que ainda não podemos ver
Cabe a nós ser a mudança
E, embora nós possamos ainda fazer mais,
Há muito para ser agradecidos

THANKFUL

Performed by Josh Groban
Written by David Foster, Richard Page, Carole Bayer Sager

Somedays, we forget to look around us
Somedays, we can't see the joy that surrounds us
So caught up inside ourselves
We take when we should give

So for tonight we pray for
What we know can be
And on this day we hope for
What we still can't see
It's up to us, to be the change
And even though we all can still do more
There's so much to be thankful for

Look beyond ourselves, there's so much sorrow
It's way to late to say, I'll cry tomorrow
Each of us must find our truth
It's so long overdue

So for tonight we pray for
What we know can be
And everyday, we hope for
What we still can't see
It's up to us, to be the change
And even though we all can still do more
There's so much to be thankful for

Even with our differences
There is a place were all connected
Each of us can find each others light

So for tonight, we pray for
What we know can be,
And on this day, we hope for,
What we still can't see,
It's up to us, to be the change,
And even though this world can still do so much more
There's so much to be thankful for.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Imagine - (Paulo Coelho)


"Imagine uma nova história para sua vida e acredite nela."
(Paulo Coelho)

domingo, 20 de janeiro de 2013

Mantra: OM NAMO NARAYANAYA - (Chandra Lacombe)

‎"Aqueles que têm um grande autocontrole, ..." - (Mahatma Gandhi)


‎"Aqueles que têm um grande autocontrole,
ou que estão totalmente absortos no trabalho, falam pouco.
Palavra e ação juntas não andam bem.
Repare na natureza: trabalha continuamente, mas em silêncio."

(Mahatma Gandhi)

"Quantas existências, ..." - (André Luiz, por Chico Xavier)


sábado, 19 de janeiro de 2013

LP Mistérios - Entrevista com Jomano (Fraternidade; Circulo Esotérico da Comunhão do Pensamento)

"Quando aprendemos a ser despreocupados ..." - (Brahma Kumaris)


"Quando aprendemos a ser despreocupados ficamos desapegados dos problemas e naturalmente felizes. Ao criarmos o hábito de pensar apenas o que é necessário, haverá uma grande economia de pensamentos e energia. Por outro lado, se o nosso tempo é perdido em pensamentos inúteis, o intelecto torna-se fraco e cansado. Assim como as preocupações inibem e ocultam os nossos talentos, a calma na mente inspira e desenvolve a criatividade."

(Brahma Kumaris)

"Ontem eu era inteligente, ..." - (Rumi)


Amor único - (Bernardino Nilton Nascimento)


"Assim como o amor de Deus constitui o desenvolvimento de cada um de nós e do mundo, do mesmo modo, ele é constituído pelo amor da humanidade. É no amor divino onde acontece a última fase do desenvolvimento do ser humano. É nele onde o amor de todos os seres, com amor simples de Deus, comunga.

O amor de Deus, que engloba a tudo e a todos os seres e tudo o que é da criação, não se diferencia do amor que devemos sentir pelos nossos irmãos seres humanos, seja ele da família ou não. O que eleva cada um de nós é o amor pela humanidade.

A unidade universal é vivida e presenciada por Deus, e não pelo amor isolado individual a cada um de nós. Ele está deixando nos aprimorarmos para desenvolvermos um só amor. É esse amor divino que passa pelos nossos corações para ser unido em um só, a do amor universal. Por estarmos acima de tudo, devemos nos dirigir ao que é, ao mesmo tempo, mais universal e mais profundamente pessoal no próximo. A nossa relação é uma vocação divina, e não temos como escapar disso com facilidade. Será mais fácil sair do mundo das agonias e tristezas pelo conhecimento das leis divinas, do que escapar delas.

Sendo a unidade no todo, quando aprendermos que o amor de Deus e o nosso são únicos, seguiremos livres e voluntariamente vivendo neles. No amor, a solidariedade humana nunca será uma angústia. Sentiremos no amor único a necessidade de crescimento de cada um. Devemos sentir e ajudar ao próximo pelo amor, pela evolução, e não pelo sentimento mesquinho da pena. A pena é um sentimento que não mora em nossos corações. Ela é fruto somente dos nossos pensamentos.

O centro de tudo, a medula de todos os seres humanos, está no coração, no amor único, presente em cada um de nós. Nascemos com esse DNA de Deus não somente aqui, mas lá no início de tudo, no qual o segredo dessa existência é revelado a cada um que chega ao topo da pirâmide do crescimento humano. E ninguém lá chegou sem o amor à humanidade.

Mesmo por trás dos muros visíveis da crueldade humana, ninguém fica isento de praticar uma caridade fraterna e autêntica do coração, pois nenhum ser humano permanece alheio ao impulso do amor único e da força da energia e da atração do coração de Deus. É mesmo visível a existência de seres humanos que se colocam fora desta energia divina. Porém, cabe a nós somar e energizar pelo amor único a todos, para que esse amor vire a centelha que irá clarear o que já existe em todos nós, que é a compaixão e a gratidão.

Todo ser humano que ama verdadeiramente seu próximo obedece a uma voz que é mais santa do que ele mesmo. Algo que merece o devotamento total e o dom sem reservas. Mas somente o que sente o amor único, percebe que mora no coração de Deus, o qual consegue enxergar e prever as alegrias e seus sofrimentos, antecipando, de coração, os passos que devem ser dados para a libertação dos nossos irmãos das garras da ignorância e do descrédito.

O coração reflete, conscientemente, o brilho cristalizado de outro coração. Usamos esse dom do coração para alimentar nossas almas com amor de Deus. Toda nossa fé e todo nosso crescimento espiritual e material, também estão no sentimento deste mágico amor divino. Com o nosso coração iluminado, viveremos numa plenitude de prazer constante pela vida, pois tudo caminha para que os nossos sonhos e desejos dêem certo. Quando abrimos o coração para doar o nosso amor, como para receber o amor de Deus, saberemos que não há diferença entre um e outro.

O coração sobre o véu da fé, caminha de imediato e misteriosamente para alegria, realiza-se o encontro que nos eleva ao ponto mais alto das emoções. O encontro de cada pessoa, em comunhão pelo amor com as outras pessoas, com seu amor e o amor de Deus. Nele, se acumula a tensão da expectativa do amor, que fará, um dia, despontar a centelha que iluminará o céu e a terra. Se o sentido único de todas as coisas e de todas as possibilidades da criação consiste em ajudar a humanidade, em amadurecer a fé até o juízo final, este sentido é realizado na medida em que elas são reconhecidas dentro do coração. Por ele, todas as forças que constroem a nossa aura são purificadas pelo amor divino, reunidas e libertadas para servir à verdadeira unidade do amor.

O mundo todo, liberto dos dogmas, dos vícios, pode ser considerado como uma construção da imagem de Deus, pois ele representa a evolução do universo, o amor único por todas as criaturas de sua criação."



Fonte: http://somostodosum.ig.com.br/clube/c.asp?id=32404

''Ensaia um sorriso ... " - (Mahatma Gandhi)


''Ensaia um sorriso
e oferece-o a quem não teve nenhum.
Agarra um raio de sol
e desprende-o onde houver noite.
Descobre uma nascente
e nela limpa quem vive na lama.
Toma uma lágrima
e pousa-a em quem nunca chorou.
Ganha coragem
e dá-a a quem não sabe lutar.
Inventa a vida
e conta-a a quem nada compreende.
Enche-te de esperança
e vive á sua luz.
Enriquece-te de bondade
e oferece-a a quem não sabe dar.
Vive com amor
e fá-lo conhecer ao Mundo.''

"Faça o que tem de fazer resolutamente, com todo o seu coração" - (Osho)


"Faça o que tem de fazer resolutamente, com todo o seu coração". Lembre-se da ênfase no coração. A mente jamais pode ser uma - por sua própria natureza ela é muitas.

E o coração é sempre um - pela sua própria natureza ele não pode ser muitos.

Você não pode ter muitos corações, mas você pode ter muitas mentes. Por quê?

Porque a mente vive na dúvida e o coração vive no amor. A mente vive na dúvida e o coração vive na confiança.

O coração sabe como confiar - é a confiança que o torna um. Quando você confia, de repente você fica centrado.

Daí a significância da confiança. Não importa se sua confiança é na pessoa certa ou não. Não importa se sua confiança será explorada ou não.

Não importa se você será enganado por causa de sua confiança ou não. Há toda a possibilidade de você ser enganado - o mundo é cheio de enganadores. O que importa é que você confiou.

É a partir de sua confiança que você se torna íntegro, que é muito mais importante do que qualquer outra coisa.

Não é uma questão de que primeiro você tem de estar certo se a pessoa é digna de confiança ou não. Como você estará certo?

E quem vai pesquisar? Será a mente, e a mente sabe somente como duvidar. Ela duvidará.

Ela duvidará mesmo de um homem como Cristo ou Buda. Ela não pode nem ajudar a ela mesma.

Assim, lembre-se: confiar não quer dizer que primeiro você tem de pesquisar, que primeiro você tem de deixar as coisas certas, garantidas e, então, confiar.

Isso não é confiança, isso realmente é dúvida - como você esgotou as possibilidades de duvidar, daí você confia. Se uma outra possibilidade de dúvida surgir, você duvidará novamente. Confie apesar de todas as dúvidas, apesar do que o homem é ou do que o homem vá fazer.

Isso é do coração, vem do amor.

Quando você confia e ama com um coração decidido, isso traz transformação. Então, você nunca hesita. A hesitação simplesmente o mantém aos pedaços.

Dando um salto quântico, sem nenhuma hesitação ou apesar de todas as hesitações, você se torna íntegro.

A hesitação desaparece, você se torna um. E tornar-se um significa libertar-se - libertar-se da própria multidão estúpida que existe dentro de você, libertar-se de seus pensamentos e desejos e memórias, libertar-se da própria mente".


Fonte: Osho, The Dhammapada

‎"Enquanto não aceitar o passado, ..." - (Sathya Sai Baba)



‎"Enquanto não aceitar o passado, você vai querer determinar como será o futuro. Você quer controlar o futuro porque não quer cair novamente no vale da sombra e da morte. É assim que você enxerga o passado porque ainda não aceitou. Mas, você pode apenas reinterpretar o passado, não pode mudá-lo. Você ainda tem dor no seu sistema e não quer voltar a senti-la, por isso precisa determinar como o futuro será - você quer controlá-lo. Assim você desperdiça a sua vida, tentando fazer algo impossível. É isso que você mantém a identificação com o ego: “Eu faço, eu controlo”. Mas, no mais profundo, tudo que você quer é desaparecer."

Alma Gêmea - (Emmanuel; Psicografado por Chico Xavier)


"ALMA GÊMEA de minha Alma
Flor de Luz de minha Vida
Sublime Estrela caida
Das belezas da Amplidão.
Quando eu errava no Mundo...
Triste e Só, no meu Caminho,
Chegaste, Devagarinho,
E Encheste-me o Coração.
Vinhas na Benção das Flores
Da Divina Claridade,
Tecer-me a Felicidade
Em Sorrisos de Esplendor!!!!
És meu Tesouro Infinito.
Juro-te Eterna Aliança.
Porque sou tua Esperança,
Como és todo meu Amor!!
ALMA GEMEA De Minha Alma
Se eu te perder algum dia...
Serei tua escura agonia,
Da saudade nos seus véus...
Se um dia me abandonares
Luz terna dos meus amores,
Hei de esperar-te, entre as flores
Da Claridade dos céus."


Emmanuel /Psicografado por Chico Xavier

Mensagem do livro "Há 2000 Anos"

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

"Seja ..." - (Sri Ravi Shankar)


Om Namo Narayanaya - 'A Chama da Verdade'! - (Fonte: Cristal Luz)


"Om Namo Narayanaya
Om é o Nome de Narayana, a chama da verdade.
Narayana é a chama interior que arde eternamente no Hrit Padma, ou “Centro Sagrado”, um chakra secreto de oito pétalas localizado dois dedos abaixo do chakra do coração. Ela se manifesta de acordo com a devoção da pessoa. Este único atributo proporciona tanto experiências maravilhosas e gratificantes como grande confusão aos verdadeiros buscadores.
De acordo com o Narayanaya Suktam, Narayana é Brahma, Vishnu e Shiva. É a luz que mora no centro sagrado e que se manifesta de acordo com a devoção de cada pessoa. Assim, quando Narayana se manifesta, é como o ideal escolhido da pessoa. Isso provoca confusão, uma vez que diferentes pessoas escolhem diferentes ideais. A visão do Amado Divido é uma experiência tão intensa que o dono da experiência a considera ser absoluta em vez de relativa. Uma pessoa pode ver Krishna e outras, Jesus. A confusão surge porque nem toda experiência divina desses seres é autêntica no sentido de uma aspiração verdadeira. Pode ocorrer às vezes de o centro sagrado manifestar-se em resposta à intensa devoção da pessoa.
Om Namo Narayanaya leva o praticante a esferas espirituais sublimes, onde as questões espirituais são respondidas e as grandes verdades reveladas. A visão espiritual do Amado Divino pode transformar positivamente a vida da pessoa. Os próprios sábio da antiguidade que habitam planos etéreos podem aparecer e dar instruções. Os desejos podem ser subitamente realizados. Esse mantra é tão maravilhoso quanto misterioso.
Na Índia, é realizada uma cerimônia da verdade universal chama Puja Satya Narayana. Pessoas de diferentes castas e credos participam dessa cerimônia. Ela está acima e além de todas as diferenças e preferência sectárias. Por isso, é considerada universal."

‎"Chorar não resolve, ..." - (Charles Chaplin)


‎"Chorar não resolve, falar pouco é uma virtude, aprender a se colocar em primeiro lugar não é egoísmo, e o que não mata com certeza fortalece. Às vezes mudar é preciso, nem tudo vai ser como você quer, a vida continua. Pra qualquer escolha se segue alguma conseqüência, vontades efêmeras não valem a pena, quem faz uma vez não faz duas necessariamente, mas quem faz dez, com certeza faz onze. Perdoar é nobre, esquecer é quase impossível. Nem todo mundo é tão legal assim, e de perto ninguém é normal. Quem te merece não te faz chorar, quem gosta cuida, o que está no passado tem motivos para não fazer parte do seu presente, não é preciso perder pra aprender a dar valor e os amigos ainda se contam nos dedos. Aos poucos você percebe o que vale a pena, o que se deve guardar pro resto da vida, e o que nunca deveria ter entrado nela. Não tem como esconder a verdade, nem tem como enterrar o passado, o tempo sempre vai ser o melhor remédio, mas seus resultados nem sempre são imediatos. Não fique preocupado, você nunca sabe quem está se apaixonando pelo seu sorriso."

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

"Ao invés de reclamar..." - (Ligia Guerra)


"As palavras ..." - (Rumi)


"As palavras são um pretexto. É o vínculo interior que chama uma alma para outra, não palavras ".

"O mundo é como um espelho ..." - (Fransé de Castro)


"Conta-se que alguém perguntou à Madre Tereza de Calcutá ..." - (Eckhart Tolle)


"Conta-se que alguém perguntou à Madre Tereza de Calcutá:
- O que a senhora diz para Deus em suas orações?
- “Nada, eu só escuto”, respondeu ela.
E o que Deus diz para a senhora em suas orações?
- “Nada, ele só escuta”.

Essa é a verdadeira e mais profunda dimensão da oração: uma experiência de presença e de comunhão que transcende a tudo."

(Eckhart Tolle)

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Características de um Guerreiro Espiritual - (Mensagem de Julie Miller)


Mensagem de Julie Miller - 9 de Janeiro de 2013
http://www.toltecspirit.com/

"A Felicidade é uma escolha de cada pessoa, mas poucos se esforçam para isto.

O Guerreiro Espiritual é uma pessoa que desafia o medo, as mentiras, as falsas crenças e os julgamentos que criam o sofrimento e a infelicidade em sua vida. É uma guerra que ocorre no coração e na mente do homem (ou da mulher).

A busca do Guerreiro Espiritual é a mesma que os buscadores espirituais de todo o mundo.

O Guerreiro Espiritual enfrenta este desafio com a clareza e a consciência de que esta guerra é travada em seu interior e que esta Verdade e o Amor Incondicional estão do outro lado destas batalhas. É a isto que os Toltecas se referem como a Liberdade Pessoal. Vocês podem encontrar isto referenciado no livro: “Os Quatro Acordos” de Miguel Ruiz.


TRAÇOS E CARACTERÍSTICAS

Vencer a guerra contra o medo exige coragem, consciência, disciplina e compromisso para transformar o corpo emocional. Estas são algumas das características de um Guerreiro.


A CONSCIÊNCIA DO GUERREIRO ESPIRITUAL 

A primeira ferramenta e a mais vital do guerreiro espiritual é a consciência. É fácil pensar que estamos conscientes, mas a pura consciência não tem envolvido o pensamento. Não tem nenhum pensamento, porque ela não tem interpretação.

Consciência é perceber com clareza a verdade do que está acontecendo, sem interpretação ou opinião. Em um momento de consciência, o diálogo na mente é interrompido. Estamos “vendo” a partir de um ponto de vista separado da parte racional de nossa mente. Isto poderia ser descrito como uma epifania.

A consciência é essencial, porque é o estado da consciência que nos permite discernir entre os fatos e a Verdade, e entre a história e as mentiras em nossa mente.

O reino de nossa mente é cheio de falsas percepções e de falsas crenças. Embora a mente possa ser muito engenhosa com histórias e mentiras, é a consciência que é a inteligência perspicaz.

Podemos usar o raciocínio muito inteligente para tomar uma decisão que não seja adequada para nós mesmos. Somente ao observarmos em retrospectiva é que compreendemos que não consideramos os indicadores que nos diziam o contrário. Isto pode ser feito em algo tão simples como um investimento em ações.

A mente é inteligente, mas é também cheia de suposições e de paradigmas de percepção limitada. A consciência nos permite ver claramente em vez de estarmos cegos por estes paradigmas de crenças falsas.

O autoconhecimento é a clareza de saber quem e o que vocês são, sem ficarmos presos em auto-imagens importantes de nós mesmos. Estas auto-imagens importantes podem nos levar a baixa auto-estima e à falta de confiança, ou podem fazer com que fiquemos auto-centrados.

Se tiverem uma ideia de quem vocês são, então considerem que vocês não são esta ideia em sua mente. Vocês são aqueles que criam a ideia e a observam. O autoconhecimento de que vocês não são qualquer uma destas imagens em sua mente é essencial para se libertarem da própria importância.


A CORAGEM DO GUERREIRO ESPIRITUAL

A coragem que faz um bom soldado, também faz um bom Guerreiro Espiritual, mas a intenção se torna completamente diferente.

Um soldado tem a coragem de enfrentar um desafio que possa trazer danos físicos. O guerreiro espiritual tem a coragem de questionar ou desafiar as suas próprias crenças.

Ao desafiarmos as nossas próprias crenças, podemos dissolver as mentiras que causam o nosso sofrimento. Desafiar as nossas próprias crenças requer coragem, porque isto significa o final de nossa ilusão de segurança.

Quando outras pessoas desafiam as nossas próprias crenças, somos geralmente rápidos na defesa. Nós as defendemos ainda que elas nos levem a sofrer.

Como um guerreiro, nós aprendemos não a defender o que acreditamos, mas a desafiarmos estas próprias crenças. Deste modo, somos capazes de separarmos a verdade das ilusões.


A DISCIPLINA DO GUERREIRO ESPIRITUAL

Um soldado tem disciplina para seguir as ordens e assim continua quando confrontado com os desafios. A disciplina do Guerreiro Espiritual continua com a sua trajetória quando confrontado com os desafios de sua mente.

É mais fácil seguir ordens como um soldado, porque somos ameaçados com as conseqüências e recompensados para nos motivar. Isto está de acordo com os nossos anos de condicionamento.

Um guerreiro deve ter a disciplina para praticar interagir com a sua própria mente, sem que alguém proporcione a motivação. Um guerreiro deve exercer a sua própria vontade, sob o comando do seu coração e não de uma figura de autoridade externa.

Isto, muitas vezes, significa ir contra as opiniões temerosas em nossa mente que nos tentam com ilusões de punição e de recompensas.

Devemos também ter a disciplina de seguir o nosso próprio coração, mesmo quando tentados pela opinião de outra pessoa. Este modo de vida requer prática disciplinada.


O AMOR DO GUERREIRO ESPIRITUAL

Um soldado tem um compromisso de amor ao seu país.

O Guerreiro Espiritual deve ter o compromisso de amar a si mesmo. O guerreiro então estende este amor à humanidade.

O compromisso é necessário porque em nossa jornada nós, certamente, iremos nos atrapalhar e cairmos muitas vezes. É ao termos um forte comprometimento que nos levantamos novamente.

É comum cairmos no julgamento. Pode ser fácil amar algumas pessoas, particularmente as pessoas que como nós, nos tratam bem. Entretanto, requer um tremendo empenho amarmos aqueles que nos rejeitam.

Este compromisso nos levará a desafiar as nossas crenças sobre os nossos julgamentos.

Devemos estar comprometidos a amarmos além de nossos próprios interesses do que isto nos irá trazer. É como nos tornaremos felizes além de nosso atual paradigma de crenças.

Com o tempo, tornamo-nos comprometidos com o amor pelo puro prazer de expressarmos o amor. Nós nos alimentamos com o amor que expressamos. Um guerreiro age desta forma comprometida, mesmo quando desafiado.


PONTO DE VISTA DO AUTOR

Em meu ponto de vista, Jesus Cristo foi o maior Guerreiro. Ele teve a coragem, a disciplina e a abertura de Amar incondicionalmente, até quando estava sendo rejeitado e perseguido fisicamente durante os seus dias.

Mesmo quando o seu corpo estava em dor física, as únicas emoções que ele criou e expressou foram o amor e a compaixão. Ele não usou uma razão em sua mente para odiar ou julgar. Se ele pôde amar em seus desafios, então podemos aprender a amar incondicionalmente em nossos desafios.

“Se eu não faço as obras do meu Pai, não creiam em mim. Mas se eu as fizer, ainda que não creiam em mim, creiam nas minhas obras, para que possam saber e compreender que o Pai está em mim e eu no Pai.” (João 10:37-38)

“Eu me vejo nestas palavras, todas elas. Eu nunca fugi de qualquer verdade, pois eu sou um buscador da verdade, entre muitas coisas. Mas eu vejo muitos que ainda não enfrentaram toda a sua verdade, somente a verdade parcial.

Sei que com o tempo, toda a verdade será revelada a fim de que cada alma querida avance no coração e na alma, com a elevação da consciência de si mesmo e da comunidade ao seu redor.

Eu sou também um Guerreiro da Luz. Eu participei de algumas batalhas astrais, recebi feridas delas e fiquei ao lado de muitos guerreiros angélicos, tais como o Arcanjo Miguel, defendendo e protegendo.

Ainda que eu sempre tenha vivido em um espírito guerreiro, eu nem sempre acreditei nisto, até que me encontrei com a minha chama gêmea (através do espírito). Foi através do seu amor incondicional e da sua dedicação a mim que me deu a confiança para ver esta parte minha, pois é o meu verdadeiro eu, ou parte dele, porque há sempre mais. Somos uma reunião de muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo, em perfeito equilíbrio.”



http://lightworkers.org/wisdom/julie-miller/172145/characteristics-... r

Tradução: Regina Drumond

Planeje o seu sucesso em 2013 - Lição 5: Você colhe o que planta - (Video com Bruno Gimenes)


‎"Cuide de seus pensamentos ..." - (Zibia Gasparetto)


‎"Cuide de seus pensamentos. Seja qual for sua crença, busque iluminação e derrame à sua volta a luz da espiritualidade com intensidade e fé. Sua vida se inundará de progresso, você atravessará esse momento delicado com segurança e, conforme a promessa divina será um dos mansos que herdará a Terra!"
(Zibia Gasparetto)

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Meditação Dinâmica - (Osho)



"A meditação dinâmica dura uma hora em cinco estágios. Pode ser feita sozinho mas, será mais eficaz se feita em grupo. É uma experiência individual portanto você deve permanecer desligado dos outros ao seu redor e manter seus olhos fechados, melhor usar uma venda nos olhos. Venha com o estômago vazio e use roupas folgadas, confortáveis.

Esta é uma meditação na qual você tem que estar continuamente alerta, cônscio, atento, a tudo que você fizer. Permaneça uma testemunha. Não se perca. Enquanto você está respirando você pode esquecer. Você pode se tornar um com a respiração de tal maneira que você se esquece da testemunha. Então você perde o ponto.

Respire tão rápido quanto possível, tão profundo quanto possível, ponha toda sua energia nisso mas permaneça uma testemunha. Observe o que está acontecendo como se você fosse apenas um espectador, como se a coisa toda estivesse ocorrendo com outra pessoa, como se a coisa toda estivesse acontecendo no corpo e a consciência está apenas centrada e observando.
Esse testemunhar tem que acompanhar todos os três estágios. E quando tudo pára, no quarto estágio você fica completamente inativo, congelado, então essa atenção chegará ao seu pico.


Primeiro Estágio: 10 minutos

Respire rapidamente pelo nariz, concentrando-se na exalação. O corpo cuidará da inalação. Faça isso tão rápido e tão firmemente quanto possível; continue até que você literalmente se torne a respiração. Use os movimentos naturais do corpo para lhe ajudar a estruturar sua energia. Sinta sua energia se firmando, mas não amoleça durante esse primeiro estágio


Segundo Estágio: 10 minutos

Expluda! Expresse tudo que precisa ser jogado fora. Fique totalmente louco. Grite, berre, chore, salte, sacuda, dance, cante, ria; jogue-se para os lados. Não segure nada, mantenha todo seu corpo em movimento. Representar um pouco no princípio ajuda. Não permita que sua mente interfira com o que está acontecendo. Seja total, de todo coração.

Terceiro Estágio: 10 minutos

Com os braços erguidos, salte seguidamente gritando o mantra , HUU, HUU, HUU, tão forte e profundamente quanto possível. Cada vez que seus pés tocarem o chão, deixe o som do mantra martelar forte no seu centro sexual. Dê tudo que puder, não segure nada.


Quarto Estágio: 15 minutos

Pare! Congele onde quer que você esteja, na posição que você estiver. Não ajeite seu corpo de maneira nenhuma. Uma tossida, um movimento, qualquer coisa dissipará o fluxo da energia e o esforço estará perdido. Seja uma testemunha a tudo que aconteça com você.



Quinto Estágio: 15 minutos

Celebre através da dança, expressando sua gratidão para com o todo. Carregue sua felicidade com você pelo resto do dia.

Se você não pode fazer barulho onde você está meditando, há uma maneira alternativa: Ao invés de lançar os sons para fora, deixe que a catarse do segundo estágio aconteça inteiramente através dos movimentos do corpo. No terceiro estágio, o som UUU, pode ser martelado silenciosamente por dentro."


Fonte: Página Osho Brasil Brazil

A Oração das Mulheres - (Feminino Sagrado)


"Nos somos as Mulheres
Somos as zeladoras da vida e do tempo

O amor e a caridade
fomos nos que ensinamos a Cristo
nos somos as mulheres
somos as sabias do tempo
somos as senhoras da Erva e da magia
da sabedoria e da alegra
também choramos as queimaduras da alma
nos somos as mulheres
as sereias do encantamento
nos livramos o mundo do tormento
nos curamos todos aqueles que buscam a cura
nos sabemos o´que é amor

nos somos as mulheres somos as Puras
Somos as impuras
somos mulheres que correm na floresta
que conhecem a voz dos mil espíritos de vida e de Luz
nos somos as mulheres aquelas que cuidam do povo
com amor e alegria nos somos as mulheres mãe
as mulheres mater
as mulheres alma
nos sofremos,mas mesmo assim o fazemos
mesmo assim o fazemos....
ASSIM SEJA"

"Sorria o mais que puder ..." - (Ma Ananda Moyi)


Alguns ensinamentos - (Ma Ananda Moyi)


"O homem nasce a fim de esgotar seu karma e escapar do ciclo de nascimentos e renascimentos. Mas o homem que possui um poder supranormal, quer dizer aquele no qual despertou o poder divino, pode modificar seu karma. O guru se manifesta a partir do interior. Quando surge uma busca verdadeira, autêntica, a iluminação se produz forçosamente. Não pode ser de outra forma. Aquele que surge sob os traços do guru é revelado ou então Se revela Ele-mesmo."

Você já fez tanto no mundo da ação! Agora esforce-se para consagrar inteiramente seu espírito ao Eterno. Não perca um tempo precioso. Os que não praticam a contemplação de Deus - ou em outros termos, não avançam em direção à realização do Ser - se destroem eles mesmos. Apegue-se ao Bem, renuncie ao que não é senão prazer."


Por que existem religiões diferentes e tanto conflito entre elas? "A controvérsia faz parte da trajetória, mas, na verdade, todos estão em sua própria casa. O mesmo caminho não é para todo mundo. Mesmo dentro de uma família, cada filho tem inclinações diferentes. Cada pessoa em busca espiritual é moldada em um caminho único, mas todas precisarão passar pelo portão da verdade".


"Permaneça sempre calmo e não se esqueça de que tudo o que Deus faz a qualquer tempo é benéfico. Porque se inquietar, se no curso dos eventos, as circunstâncias se modificam? Tudo o que acontece a todo instante ocorre de acordo com a Sua vontade."

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

"Ocupe-se daquilo que lhe causa encantamento ..." - (A Missão de Amar)


"Pai, Abençoa-me ..." - (Paramahansa Yogananda)


"Pai
Abençoa-me para que eu possa
Te encontrar no templo de cada pensamento e de cada atividade.
Encontrando-Te dentro de mim, eu Te encontrarei fora,
em todas as pessoas e em todas as condições."

Tenda de suor - Sopre as Cinzas - (Compartilhado de Xamã)



TENDA DE SUOR.....(PURIFICAÇÃO)
SOPRE AS CINZAS

"Deixe-as ao vento
Quem feriu você, já feriu e já passou.

Lá na frente encontrará o
inevitável retorno e pelas mãos de outrem,
se merecer, será ferido também.

A Vida se encarregará de
dar-lhe o troco e você, talvez, jamais fique sabendo.

O que importa de verdade é o que você sentiu e,
mais importante, é o
que ainda você sente:

Mágoa? Rancor?
Ressentimento? Ódio?

Você consegue perceber
que esses sentimentos foram escolhidos por você?

SOMOS NÒS que ESCOLHEMOS o que SENTIR diante de agressões e de ofensas.

Quem nos faz o mal é responsável pelo que faz, mas NÓS somos responsáveis pelo que sentimos.

Essa responsabilidade tem a ver com o Amor que devemos e temos que sentir por nós mesmos.

O ofensor fez o que fez e o momento passou, mas o que ficou aí dentro de você?

MÀGOA?.........

- Você sabia que de todas as drogas ela é a mais cancerígena?
Pela sua própria saúde,
jogue-a fora.

RANCOR?.........

- Ele é como um alimento preparado com veneno irreconhecível: dia mais, dia menos, você poderá contrair doenças de cujas origens nem suspeitará.

RESSENTIMENTO?........

- Pois imagine-se vivendo dentro de um ambiente constantemente poluído, enfumaçado, repleto de bactérias e de incontáveis tipos de vírus: é isso que seu coração e seus pulmões estão tentando aguentar. Até quando você acha que eles vão resistir?

ÓDIO?.........

- Seus efeitos são paralisantes. Seu sistema imunológico entrará em conflito com esse veneno que com o tempo poderá colocar você face a face com a morte e talvez muito tarde você venha a perceber que melhor seria ter deixado que seu agressor colhesse os frutos do próprio plantio.


Por seu próprio Bem e pelo seu Bem, PERDOE.


O perdão o libertará e o fará livre para ser feliz. Esqueça o mal que lhe foi feito

. Deixe o seu ofensor de lado, e não penses nele com ímpetos de vinganças.

Siga a sugestão. Se desejas ser feliz por um dia: vinga-te. Se desejas ser feliz por toda a vida: PERDOE


Mude seu destino ...Não permita que suas emoções negativas dominem os seus sentimentos.

Seja o(a) comandante da sua nau!

Escolha o melhor caminho
para sua "viagem"

E se outras vezes o ferirem, perdoe ...

Perdoe ... Como Cristo perdoou os que o crucificaram.
.
QUE TENHAS MUITA PAZ DE ESPÍRITO
SE AME.........
"OLUOLU" "

(Compartilhado de Xamã)